• Estação Romana da Quinta da Abicada

    Estação Romana da Quinta da Abicada

  • Monumentos Megalíticos de Alcalar - edifício tumular "Alcalar 7"

    Monumentos Megalíticos de Alcalar - edifício tumular "Alcalar 7"

  • Monumentos Megalíticos de Alcalar – interior do edifício tumular "Alcalar 7"

    Monumentos Megalíticos de Alcalar – interior do edifício tumular "Alcalar 7"

  • Monumentos Megalíticos de Alcalar – "Um dia na pré-história"

    Monumentos Megalíticos de Alcalar – "Um dia na pré-história"

  • Castelo de Aljezur – Torre semi-cilindrica

    Castelo de Aljezur – Torre semi-cilindrica

  • Castelo de Aljezur – Muralha e acesso

    Castelo de Aljezur – Muralha e acesso

  • Ermida de N.S. de Guadalupe e Casa rural

    Ermida de N.S. de Guadalupe e Casa rural

  • Panorâmica da exposição no interior da Casa rural

    Panorâmica da exposição no interior da Casa rural

  • Castelo de Loulé – "Música nos Monumentos"

    Castelo de Loulé – "Música nos Monumentos"

  • Torreões do Castelo de Loulé

    Torreões do Castelo de Loulé

  • Ruínas Romanas de Milreu – Casa rural

    Ruínas Romanas de Milreu – Casa rural

  • Ruínas Romanas de Milreu – Pormenor de mosaico

    Ruínas Romanas de Milreu – Pormenor de mosaico

  • Castelo de Paderne

    Castelo de Paderne

  • Castelo de Paderne – Ruína da Ermida de N.S. da Assunção

    Castelo de Paderne – Ruína da Ermida de N.S. da Assunção

  • Ruína da Ermida de N.S. da Assunção - "Música nos Monumentos"

    Ruína da Ermida de N.S. da Assunção - "Música nos Monumentos"

  • Fortaleza e Promontório de Sagres

    Fortaleza e Promontório de Sagres

  • Capela de N.S. da Graça – "Música nos Monumentos"

    Capela de N.S. da Graça – "Música nos Monumentos"

Página Inicial Monumentos do Algarve Bons Momentos Promontório de Sagres Prémio Regional Maria Veleda

Cartaz - The Golfinch Ensemble

“Sons Antigos a Sul”  - The Goldfinch  Ensemble 

No passado dia 5 de Agosto deu-se início a mais um Ciclo de Música Antiga “Sons Antigos a Sul” na Ermida de Nossa Senhora de Guadalupe, que se realizará todas as sextas-feiras do corrente mês, pelas 17h00. 

O próximo concerto do ciclo será já no próximo dia 12 de agosto, por The Goldfinch Ensemble. 

O Programa apresentado será centrado na figura emblemática de Elisabeth Jaquet de La Guerre (1665-1729): “Sonatta della signora de la guerre”, com quatro sonatas em trio (violino, flauta e baixo continuo), acompanhando outros trabalhos da compositora, como a sonata para violino e baixo continuo (1707); uma selecção da sua obra “Pieces de Clavecin” (1687); e um extracto da tragédia lírica “Céphale et Procris” (primeira ópera escrita por uma compositora feminina na Académie Royale de Musique, 1693). 

Esta é uma iniciativa produzida pela Academia de Música de Lagos, integrada no ciclo “Música no DiVaM” do programa DiVaM – Dinamização e Valorização dos Monumentos – 2016 promovido pela Direção Regional de Cultura do Algarve em parceria com agentes culturais da região.

The Goldfinch Ensemble 
Foi fundado em 2014 no seio do Conservatório Real de Haia (Países Baixos), por 4 músicos oriundos de diferentes países e dedica-se ao reportório escrito para cravo, violino barroco, traverso e viola da gamba dos séculos XVII e XVIII. Como estudantes do real Conservatório de Haia, obtiveram formação junto de emblemáticas figuras da música historicamente informada, tais como Wieland Kuijken, Wilbert Hazelzet and Ryo Terakado. Já se apresentaram nos Países Baixos, França, Portugal, Bélgica, Espanha e Alemanha em vários recitais e festivais, tais como MA Fringe Festival em Bruges, Sons Antigos Sul, Fringe Festival Oude Muziek Utrecht, Göttinger Reihe Historischer Musik. Em Fevereiro de 2016 ganharam o primeiro prémio no Internationale Händel-Festspiele Göttingen e em Maio de 2015 receberam o Segundo Prémio na Competição Internacional de Música Antiga do Val de Loire (França). O Ensemble foi selecionado para o programa EEEmerging de Ambronay, pelo que participarão no Festival de Ambronay e York Early Music Christmas Festival, durante o ano de 2016. Pelo segundo ano consecutivo apresentam-se no Ciclo de Música Antiga Sons Antigos a Sul, resultado de uma parceria com o Conservatório Real de Haia e com o patrocínio deCultugarve.com / sua agenda cultural. http://thegoldfinchensemble.com/

Cartaz "Sons Antigos a Sul" - 2016

O Ciclo de Música Antiga “Sons Antigos a Sul” regressa à Ermida de Nossa Senhora de Guadalupe

O Ciclo de Música Antiga “Sons Antigos a Sul” regressa à Ermida de Nossa Senhora de Guadalupe, todas as sextas-feiras de Agosto, pelas 17h00, com quatro ensembles de craveira nacional e internacional: Ludovice Ensemble (Lisboa, PT), The Goldfinch Ensemble (Haia, NL), Duo Lundú (Lagos, Évora PT) e Bando de Surunyo (Porto, PT), numa viagem entre a Europa e o Mundo do século XVII e XVIII.

O Ciclo de Música Antiga “Sons Antigos a Sul” é um projecto anual dirigido pela Academia de Música de Lagos de promoção e divulgação da Música Antiga no Algarve, envolvendo ensembles profissionais nacionais e internacionais, sob fundação de Elsa Mathei.

“Género & Diáspora” é o tema para 2016, abordando questões sociais que são transversais à História Mundial como a migração e igualdade de género.

Este festival foi reconhecido em 2015 e 2016  com o título de qualidade EFFE [Europe for Festivals, Festivals for Europe], da EFA [European Festivals Association], um projecto piloto da Comissão Europeia que procura distinguir e dinamizar os melhores Festivais de toda a Europa.

Conta com o apoio da Direcção Regional de Cultura do Algarve, o Real Conservatório de Haia, Países Baixos e Cultugarve.com na sua agenda cultural.

Programa

O Programa especificamente recolhido para este concerto pelo Ludovice Ensemble é composto por obras instrumentais francesas e italianas influenciadas por esse mundo maravilhoso e desconhecido da China do período barroco. O Ludovice Ensemble propõe não uma viagem à China, enquanto realidade geográfica e histórica, mas antes uma jornada a uma terra de devaneio e de sonho, em que a elegância e o refinamento da música barroca se prestam à construção de um idílio sonoro, uma paisagem ideal que corresponde às maravilhas recriadas e encenadas num infindável  número de "Chinoiseries" que reclamavam os palácios europeus setecentistas, e que hoje ainda nos deliciam pela sua surpreendente mistura caprichosa de exotismo e fantasia. " Fernando Miguel Jaloto

5 de Agosto

 "Chinoiseries | Oriente Imaginado" do Ludovice Ensemble que nos trará um programa inédito composto por obras instrumentais francesas e italianas influenciadas por esse mundo maravilhoso e desconhecido que é a China dos séculos XVII e XVIII.

 12 de Agosto

Uma homenagem a Élisabeth Jacquet de La Guerre - uma das mais conhecidas mulheres-compositoras do Barroco Europeu - pelos holandeses The Goldfinch Ensemble

19 de Agosto

Uma passagem pelas heranças musicais de África e Brasil na Corte Portuguesa de 1800 interpretadas pelos Duo Lundú

26 de Agosto

Esta 5ª Edição dos Sons Antigos a Sul terminará com uma apoteose vocal dos jovens "Bando de Surunyo" com apresentação de um repertório vernacular do Mosteiro de Santa Cruz de Coimbra escrito em castelhano, português, galego, língua teatral que representa os africanos e quicongo [kikongo].

Nota biográfica

Ludovice Ensemble é um grupo especializado na interpretação de Música Antiga criado em 2004 por Fernando Miguel Jalôto e Joana Amorim, com o objectivo de divulgar o repertório de câmara vocal e instrumental dos séculos XVII e XVIII através de interpretações historicamente informadas, usando instrumentos antigos. O nome do grupo homenageia o arquitecto e ourives alemão Johann Friedrich Ludwig (1673-1752) conhecido em Portugal como Ludovice. O grupo trabalha regularmente com os melhores intérpretes portugueses especializados, e também com prestigiados artistas estrangeiros.  www.ludoviceensemble.com

 

 

LogoPrograma de Apoio à Internacionalização

Estão abertas até 31 de agosto as candidaturas para o Programa de Apoio à Internacionalização das Artes 2016, nas áreas da arquitetura, artes digitais, artes plásticas, dança, design, fotografia, música, teatro e cruzamentos disciplinares.

Com um montante financeiro global disponível de 400.000,00 euros, este programa irá apoiar um número máximo de 45 candidaturas.

O Programa de Apoio à Internacionalização visa o apoio à representação e circulação internacional de artistas e produções artísticas, pelo que as candidaturas deverão propor a apresentação pública de projetos fora do território nacional. Podem candidatar-se as pessoas coletivas e grupos informais com residência fiscal em Portugal continental e pessoas singulares que aqui exerçam maioritariamente a sua atividade profissional.

O prazo limite de apresentação de propostas é de 31 de agosto.

Mais informações aqui - www.dgartes.pt

 Assinatura do Protocolo de Colaboração para Valorização, Restauro e Conservação da Torre Albarrã do Castelo de Paderne Castelo de Paderne

O Castelo de Paderne está classificado com o grau de Imóvel de Interesse Público, pelo Decreto N.º 516/71 de 22-11, e, beneficia de uma Zona Especial de Protecção, nos termos da Portaria n.º 978/99, Diário da República (2.ªsérie). A sua classificação como um bem de valor cultural nacional atendeu a que corresponde ao paradigma de um hisn - uma pequena fortificação rural hispano--muçulmana do período almóada (2ª metade do século XII e primeiras décadas do século XIII)-  em cujas muralhas foi utilizado um único e já perdido processo construtivo, a taipa militar e que  a estrutura chegou, até nós, mantendo a técnica construtiva e o desenho que lhe deram os seus fundadores, no século XII.

Os vestígios arqueológicos, no interior do castelo, correspondem ao urbanismo islâmico da fundação, às posteriores ocupações medieval e moderna, e, à ruína de uma capela que teria a actual configuração, em inícios do séc. XVIII.

No âmbito regional, pelas suas características estruturais e pela qualidade ambiental e paisagística da sua envolvente, o castelo de Paderne impõe-se como um notável valor cultural, que ganha um reforçado sentido devido à sua plena compatibilidade com o uso turístico, associado ao facto de se situar no concelho de Albufeira, município que acolhe uma elevada percentagem do movimento turístico da região algarvia.

Subentende-se a conveniência de valorizar este bem cultural, de significado histórico-cultural impar na região. Para isso é necessário a continuação de obras de conservação e restauro dos módulos de taipa almóada, agora na Torre Albarrã utilizando, como em anterior intervenção piloto, os materiais e os processos construtivos compatíveis com a tipologia construtiva deste edifício histórico. O custo total da intervenção está previsto com um valor de oitenta e sete mil quatrocentos e oitenta e oito euros e cinquenta e dois cêntimos, a que acrescerá o IVA à taxa legal.

A Direção Regional de Cultura, que dispõe, com autoria do Arq. Manuel López Vicente, de um projecto de conservação e restauro, para a Torre Albarrã, desde 2010, não conseguiu até à data por questões de orçamentais, satisfazer aquele objetivo, apesar de  o ter mantido entre as suas prioridades.

De acordo com os dois protocolos assinados, dia 28 de julho, nos Paços do Concelho de Albufeira, a Direção Regional de Cultura do Algarve compromete-se a candidatar a obra ao CRESCE 2020,  a Câmara Municipal de Albufeira, em financiar a compartida nacional em 30 000 Euros  e a Fundação Milénio BCP em conceder  um mecenato no valor de 30  000 Euros.

Regista-se com satisfação esta parceria inovadora entre as três entidades, em favor da valorização do património algarvio,  de que devemos garantir a continuidade às gerações futuras.

Convite

Conferência " Rumo a Sul - A importância da migração de artistas para Sul na cultura do Algarve"

Dia 28 de julho, às 22h, na Casa das Artes em Tavira

Conferência e debate com a participação de Alexandra Gonçalves, Dália Paulo, Ilídio Salteiro, João Cutileiro, Manual Baptista, Nuno Faria, Pedro Cabrita Reis e Xana

 

Cartaz Ensemble Acordeões

Na Fortaleza de Sagres, dia 31 de Julho, pelas 18 horas.

A Orquestra de Acordeões reflete a evolução do ensino desta disciplina na Academia de Música de Lagos /Conservatório de Portimão, sob direcção de Gonçalo Pescada. Em 2012, na sequência do aproveitamento de novos valores da disciplina e da difusão do ensino de acordeão por todo o Algarve, foi formada a Orquestra de Acordeões da Academia, que desde então se tem apresentado em diversos palcos e eventos por todo o Algarve, nomeadamente Dias da Música (2015, CCB, Lisboa). José Dias (Vice-Campeão Mundial 2012), Francisco Monteiro (Finalista Portugal Got Talent 2015), Luís Mira (1º Prémio Concurso João César), Sergio Gladkyy (2º Prémio Troféu Mundial 2015) e Maxim Nedobeshkin (5º Prémio Troféu Mundial 2015) serão alguns dos músicos presentes neste concerto onde o acordeão terá o destaque.  

Esta é uma iniciativa produzida pela Academia de Música de Lagos, integrada no ciclo “Música no DiVaM” do programa DiVaM – Dinamização e Valorização dos Monumentos – 2016 promovido pela Direção Regional de Cultura do Algarve em parceria com agentes culturais da região.

Recorte do jornal Postal

Num artigo sobre as comunidades criativas, a cultura e o turismo reconhecíamos em 2008 como: "A cultura e as "indústrias criativas" têm sido determinantes para a (re)produção e (re)criação dos espaços urbanos; podemos mesmo afirmar que alguns locais foram reconstruídos ou até concebidos propositadamente para o turismo e para o lazer" - Gonçalves, A. (2008), - "As comunidades criativas, a cultura e o turismo", Revista dos Algarves, pp.10-18.

Falava-se à data na necessidade das cidades e das regiões de serem criativas, de promoverem novas estratégias de regeneração e de dinamização do seu tecido económico e social. [...]

(Todo o artigo, saído no jornal Postal- Cultura Sul, no dia 8 de julho, aqui)

 

Cartaz Old Jerusalem

A Fortaleza de Sagres será o palco de OLD JERUSALEM, no último dos “Concertos ao Entardecer”, dia 24 de Julho, pelas 18h.

Old Jerusalem, o projeto do músico/autor/intérprete Francisco Silva, apresenta em concerto o seu último trabalho “A rose is a rose is a rose”, um lugar de paisagens íntimas, tranquilas, de subtil introspeção, revelador de uma coesão estética e sonora, onde as matrizes continuam a ser as do folk americano.

Em “A rose is a rose is a rose”, Old Jerusalem retoma a colaboração de outros músicos, destacando-se o trabalho desenvolvido com Filipe Melo, responsável pelo piano e arranjos de cordas do álbum e um verdadeiro cúmplice na delineação do rumo estético do trabalho, a que se juntaram as colaborações habituais e as de novos músicos, vozes e técnicos.

O projeto Old Jerusalem iniciou atividade em meados de 2001, lançando o seu álbum de estreia “April” em 2013. Desde então tem mantido um nível de atividade regular, entre concertos, edição de novos registos e colaborações com outros artistas, não só como músico/intérprete (The Unplayable Sofa Guitar, Green Machine, The Neon Road, entre outros), mas também como autor, tendo desenvolvido a este título trabalho com artistas tão diversos quanto Carlos Bica, Bernardo Sassetti, Alla Polacca, Mandrágora ou Kubik.

 “Concertos ao Entardecer” é um projeto da ArQuente Associação Cultural prolongado à Fortaleza de Sagres no ciclo “Música no DiVaM” do programa DiVaM- Dinamização e Valorização dos Monumentos.

Logo Apoio às Aets

APOIO ÀS ARTES 2016 - abertas candidaturas

Estão abertas as candidaturas ao programa de Apoio Pontual 2016 para projetos artísticos de criação, programação e edição nas áreas da arquitetura, artes digitais, artes plásticas, cruzamentos disciplinares, dança, design, fotografia, música e teatro.

O valor de investimento é de 900.000,00 euros para apoiar um número máximo de 50 projetos. 
O prazo limite de apresentação de propostas é de 16 de agosto para apoios à criação e de 18 de agosto para os domínios da programação e da edição. Informações e formulários disponíveis AQUI 

 

Logo Arte Publica Fundação EDP

“Arte Pública Fundação EDP”.

HOJE,15 de Julho, uma Cerimónia de Lançamento

A Fundação EDP apresenta o projeto “Arte Pública Fundação EDP”. Este projeto pretende levar a arte pública a meios rurais, usando a intervenção artística como instrumento de inclusão social, numa iniciativa de âmbito nacional orientada para territórios de baixa densidade populacional.

Democratizar o acesso à arte e permitir o envolvimento da população em novas experiências culturais, bem como estimular o desenvolvimento local através da realização de intervenções artísticas em espaço público são alguns dos principais objetivos desta iniciativa.

O projeto decorre em três fases: num primeiro momento são realizadas Assembleias de apresentação do projeto à população que pressupõem uma conversa com os artistas. Posteriormente são apresentadas as propostas dos artistas para as suas intervenções e, numa fase final, os artistas realizam as intervenções em espaço público.

Em termos de dispersão geográfica o projeto estará presente em Trás-os-Montes (localidades de Alfândega da Fé, Torre de Moncorvo, Miranda do Douro e Mogadouro) no Ribatejo (Marmeleira, Assentiz e Salinas), no Alentejo (Ouguela, Campo Maior e Degolados), e no Algarve (Vila do Bispo, Barão de S. João, Mexilhoeira, Messines, Alte e Alportel).

“Com este projeto, a Fundação EDP contribui para trazer a comunidades rurais um maior contacto com a arte, provocando, simultaneamente, uma reflexão sobre a sua função na nossa sociedade. E tem outro mérito, o de conciliar no mesmo programa as duas principais áreas de intervenção da fundação, onde temos um percurso reconhecido e consistente: a inclusão social e a cultura. Este é um projeto que mobiliza artistas e comunidades rurais num diálogo inovador que, acreditamos, resultará num roteiro inesperado de arte pública e num motivo de orgulho para todas as partes envolvidas”, refere Miguel Coutinho, Administrador Executivo e Diretor-Geral Fundação EDP.

Para João Pinharanda, curador do projeto “ao lançar este programa, pretende-se cruzar campos de intervenção (a arte e o social), deixando espaço à criatividade dos artistas convidados e abrindo espaço aos públicos para a sua própria intervenção. O programa Arte Pública Fundação EDP inscreve-se numa tradição de mais de década e meia de trabalho da Fundação EDP com arte e artistas, com um larguíssimo leque de públicos, construindo uma nova realidade no panorama cultural português.”

Artistas de renome nacional e internacional

Nas localidades de Trás-os-Montes associadas ao projeto estão previstas intervenções de artistas como Gabriela Vaz Pinheiro, Nuno Pimenta, Sofia Borges, R2 Design, FAHR 021.3, alunos do Mestrado em Arte e Design para o Espaço Público, Cristina Mateus, Fernando José Pereira, MAR, Pedro Almeida, Miguel Schreck e Ricardo Santos.

No Ribatejo, as intervenções estarão a cargo do artista João Seguro. Silveirinha, NADA, ORPHÃO e André Clérigo são os artistas envolvidos nas intervenções no Alentejo.

Já na região algarvia XANA, Mariana A Miserável, Jorge Pereira, Menau, Padure, Susana Gaudêncio e Tiago Batista protagonizam este projeto.

Cartaz - Curating Cultural

Seminário de Verão "Curating Cultural Big Data" com Mark Coté

Dia 18 de julho, pelas 11h, na sala 2.35 do Edifício 1 do Campus de Gambelas

"Esta palestra centrar-se-á sobre ideias e inovações que partem de uma série de projetos de investigação recentes e em curso no King's College of London. Trata-se de um tipo de investigação altamente interdisciplinar que incide sobre os dados de origem digital que geramos na nossa vida quotidiana, com um foco particular em plataformas móveis. Esta pesquisa aborda as dimensões sociais, culturais, políticas e económicas desses processos de datificação. Os projetos (financiados por instituições do Reino Unido e no âmbito do Horizonte 2020) procuram aumentar o acesso e uso crítico e criativo dos dados como um meio de torná-los num recurso coletivo ."

A entrada é gratuita, mas sujeita a inscrição aqui.
Mais informações em www.ciac.pt.

Fortaleza de Sagres

Monumentos tutelados pela Direção Regional de Cultura do Algarve aumentam visitantes

Os monumentos com fruição pública controlada sob tutela da Direção Regional de Cultura do Algarve – Fortaleza de Sagres, Ermida de N.ª Senhora de Guadalupe (Vila do Bispo), Monumentos Megalíticos de Alcalar (Portimão) e Ruínas Romanas de Milreu (Faro) - registaram um aumento global de 10,3% de visitantes no primeiro semestre de 2016 relativamente ao período homólogo anterior.

A Direção Regional de Cultura do Algarve tem procurado divulgar e dinamizar os monumentos por si tutelados. Além das intervenções de reabilitação e valorização, que visam melhorar as condições de fruição, também a criação em 2014 do DIVAM - Programa de Dinamização e Valorização dos Monumentos, em parceria com várias associações culturais e municípios algarvios, oferece aos visitantes (muitos deles residentes) uma programação cultural variada, contribuindo para uma maior diversidade na oferta cultural complementar dos monumentos do Algarve, levando as comunidades próximas a revisitar o seu património.

A recente distinção do Promontório de Sagres com a Marca Património Europeu poderá, pelo seu reconhecimento, contribuir para o reforço da valorização deste património único a nível europeu e mundial.

 

Fotografia:  © DRCAlgarve/João Pedro Costa

Cartaz

Dia 09 de julho, pelas 16h, tem lugar na Ermida de Nossa Senhora de Guadalupe (Raposeira-Vila do Bispo) a inauguração de  uma intervenção artística do artista plástico Bertílio Martins.

Trata-se de uma abordagem poética à presença do conjunto megalítico vicentino (mais de duzentos menires existentes no concelho de Vila do Bispo), na qual o artista rege o seu processo criativo por um questionamento da matéria, sendo esta que sustenta uma produção de significado.

Às 17h, Sandro William Junqueira, escritor, ator e encenador, irá apresentar uma leitura encenada das palavras de Húmus de Raul Brandão, numa aproximação e/ou choque, numa "deriva", em relação à instalação de Bertílio Martins.  "A leitura encenará a transformação que ocorre no processo de criação: o húmus é a parte fértil da terra, onde se entranham e confundem a morte e a vida", afirma Sandro W. Junqueira.

A intervenção, a terceira do ciclo Derivas Continentais numa organização da Tertúlia, Associação Sócio-Cultural de Aljezur, está inserida no programa DiVaM  2016, e ficará patente até ao dia 30 de julho.

 

Bertílio Martins nasce em Faro em 1984.

É licenciado em Artes Visuais pela Universidade do Algarve em 2011 e tem frequentado, como formação paralela, várias residências artísticas e workshops, como a “Réplica” (2013) em Tavira, ou “Plein Air 11” (2011) em Sevilha. Desde 2009 tem participado em várias exposições colectivas e individuais, 2015- “(Des)envolvimentos Emergentes”, Palácio da Galeria, Tavira; “Cadavre Exquis” Casa das Artes de Tavira; XVIII Bienal de Cerveira; 2013 - “Réplica”, Casa das Artes de Tavira; “VII Mostra de Arte Contemporânea” intercâmbio entre o Pólo Universitário do Rio das Ostras e a Universidade do Algarve, Portugal/Brasil; 2012- “É perigoso olhar para dentro” na Galeria Trem, Faro e  Homeless Place”, Lisboa.

Sandro William Junqueira nasce em 1974 em Umtali, na Rodésia e vive actualmente em Portugal.
Fez incursões em áreas artísticas como a música, a escultura e a pintura. Foi designer gráfico. 

Diz poesia e trabalha regularmente como actor e encenador. Lecciona expressão dramática. É autor de projectos e ateliês de promoção do livro e da leitura.
Publicou O Caderno de Algoz (Caminho, 2009), Um Piano para Cavalos Altos( Caminho e Leya Brasil, 2012). Foi um dos onze escritores da novela policial O Caso do Cadáver Esquisito (Associação Cultural Prado, 2011) e autor de um dos contos da colectânea Dez Contos para Ler Sentado (Caminho, 2012). Em 2012 foi considerado um dos escritores para o futuro pelo semanário Expresso.

+Património + TurismoCandidaturas ao programa «+Património +Turismo» 

As candidaturas ao programa «+Património +Turismo» promovido pela sociedade de capital de risco Portugal Ventures e pelo Turismo de Portugal para estimular o nascimento de startups e de novos negócios associados ao turismo e à valorização do património cultural e natural do país, decorrem até ao final de julho, dia 31.

Com um valor global previsto de 10 milhões de euros, o programa «+Património +Turismo» vai analisar e avaliar as candidaturas submetidas, podendo realizar investimentos até ao montante máximo de 500 mil euros por projeto.

Por isso, a Região de Turismo do Algarve associa-se à divulgação desta oportunidade de financiamento num Open Day dirigido a potenciais beneficiários do programa na região do Algarve para esclarecer dúvidas e informar sobre os projetos elegíveis, a realizar no dia 07 de julho, a partir das 14h30, no auditório da RTA, em Faro.

A participação é gratuita, mas sujeita à capacidade da sala e a prévia inscrição através do e-mail investidor@turismodoalgarve.pt.

Consulte aqui

Milreu - fotografia de Olavo

Novos horários nos Monumentos afetos à Direção Regional

No âmbito da entrada em vigor da Lei n.º 18/2016, de 20 de junho, que define as 35 horas de trabalho como limite máximo semanal dos períodos normais de trabalho, foi necessário proceder a alterações nos horários de abertura dos monumentos tutelados pela Direção Regional de Cultura do Algarve. 

Mediante o exposto informamos que a partir do dia 1 de Julho de 2016 os monumentos com estruturas de acolhimento afetos à Direção Regional de Cultura do Algarve têm o seguinte horário de abertura ao público:

FORTALEZA DE SAGRES

Maio a Setembro
Das 9:30 às 20:00
Última entrada 30 minutos antes do encerramento

Outubro a Abril
Das 9:30 às 17:30
Última entrada 30 minutos antes do encerramento

 



ERMIDA NOSSA SENHORA DE GUADALUPE / RUÍNAS ROMANAS DE MILREU

Maio a Setembro
Das 10:30 às 13:00 e das 14:00 às 18:30
Última entrada 30 minutos antes do encerramento

Outubro a Abril
Das 9:30 às 13:00 e das 14:00 às 17:00
Última entrada 30 minutos antes do encerramento