• Estação Romana da Quinta da Abicada

    Estação Romana da Quinta da Abicada

  • Monumentos Megalíticos de Alcalar - edifício tumular "Alcalar 7"

    Monumentos Megalíticos de Alcalar - edifício tumular "Alcalar 7"

  • Monumentos Megalíticos de Alcalar – interior do edifício tumular "Alcalar 7"

    Monumentos Megalíticos de Alcalar – interior do edifício tumular "Alcalar 7"

  • Monumentos Megalíticos de Alcalar – "Um dia na pré-história"

    Monumentos Megalíticos de Alcalar – "Um dia na pré-história"

  • Castelo de Aljezur – Torre semi-cilindrica

    Castelo de Aljezur – Torre semi-cilindrica

  • Castelo de Aljezur – Muralha e acesso

    Castelo de Aljezur – Muralha e acesso

  • Ermida de N.S. de Guadalupe e Casa rural

    Ermida de N.S. de Guadalupe e Casa rural

  • Panorâmica da exposição no interior da Casa rural

    Panorâmica da exposição no interior da Casa rural

  • Castelo de Loulé – "Música nos Monumentos"

    Castelo de Loulé – "Música nos Monumentos"

  • Torreões do Castelo de Loulé

    Torreões do Castelo de Loulé

  • Ruínas Romanas de Milreu – Casa rural

    Ruínas Romanas de Milreu – Casa rural

  • Ruínas Romanas de Milreu – Pormenor de mosaico

    Ruínas Romanas de Milreu – Pormenor de mosaico

  • Castelo de Paderne

    Castelo de Paderne

  • Castelo de Paderne – Ruína da Ermida de N.S. da Assunção

    Castelo de Paderne – Ruína da Ermida de N.S. da Assunção

  • Ruína da Ermida de N.S. da Assunção - "Música nos Monumentos"

    Ruína da Ermida de N.S. da Assunção - "Música nos Monumentos"

  • Fortaleza e Promontório de Sagres

    Fortaleza e Promontório de Sagres

  • Capela de N.S. da Graça – "Música nos Monumentos"

    Capela de N.S. da Graça – "Música nos Monumentos"

Página Inicial Monumentos do Algarve Bons Momentos Promontório de Sagres Prémio Regional Maria Veleda

Cartaz Dia Internacional dos Monumentos e Sítios 2017

Dia Internacional dos Monumentos e Sítios 2017

Programção da Direção Regional de Cultura do Algarve

8 de abril 

- Ruínas Romanas de Milreu 
às 18h

Abertura do ciclo de palestras "Amatores in situ" - O Mundo antigo visto por aqueles que o amam" - "O que faz a poesia portuguesa contemporânea com os antigos?" por Ana Isabel Soares (leitora, nefelibata, professora da Universidade do Algarve).

Organização: Faculdade de Ciências Humanas e Sociais da Universidade do Algarve e 
Integrado – no DiVaM – Dinamização e Valorização dos Monumentos

19 de Abril

- Fortaleza de Sagres
às 10h30

"Os Filhos do Fogo de Deus" - crónicas de uma história de opressão racial - Performance em formato de sessão de narração oral

Organização - Associação Partilha Alternativa 
Integrado – no DiVaM – Dinamização e Valorização dos Monumentos

22 de Abril

- Fortaleza de Sagres
às 16h30

Igreja de Nª Sra da Graça - Projeto Video Lucem- Exibição dos filmes "Simão do Deserto" de Luís Buñel e "Ascenção" de Pedro Peralta.

Organização - Cineclube de Faro e Diocese do Algarve
Integrado – no 365 Algarve

 

- Monumentos Megalíticos de Alcalar
das 14h às 22h30

"Um Dia e uma Noite na Pré História" - Recriação histórica e ateliers temáticos

Organização - Museu Municipal de Portimão /Grupo de amigos do Museu de Portimão
Integrado – no DiVaM – Dinamização e Valorização dos Monumentos

 

- Ruínas Romanas de Milreu 
às 14h

“Desenhar Arqueologia em Milreu”- Através de workshops de desenho arqueólogico abertos a todo o público, de descoberta de uma fase dos trabalhos arqueológicos. Permite ter um melhor entendimento das estruturas arqueológicas, tal como um puzzle, como é que elas se ligam e conectam no ambiente das Ruínas Romanas

Organização – ARCHAEOFACTORY
Integrado – no DiVaM – Dinamização e Valorização dos Monumentos

_________________________________________________________________

A Direção-Geral do Património Cultural, coordenadora nacional do DIMS 2017, em colaboração com o ICOMOS Portugal, convida as entidades públicas e privadas a associarem-se a esta comemoração através da organização de iniciativas dirigidas ao público.

Em 2017, o tema proposto para o DIMS pelo ICOMOS Internacional é PATRIMÓNIO CULTURAL E TURISMO SUSTENTÁVEL.

Numa época de marcada globalização económico-cultural, de profundas transformações sociais e do aumento exponencial do número de turistas, a salvaguarda, estudo, interpretação e divulgação do património é um factor fundamental para a afirmação da diversidade cultural dos territórios e dos países, constituindo igualmente um elemento chave  para o reforço do conhecimento e do respeito entre os povos. A DGPC promove a divulgação deste tema com a finalidade de celebrar os benefícios de uma relação saudável entre o turismo e o património cultural.

Dia Internacional dos Monumentos e Sítios (DIMS), foi criado pelo Conselho Internacional dos Monumentos e Sítios (ICOMOS) a 18 de abril de 1982, e aprovado pela UNESCO no ano seguinte, com o objetivo de sensibilizar os cidadãos para a diversidade e vulnerabilidade do património, bem como para a necessidade da sua proteção e valorização. Celebrando o património nacional, comemora também a solidariedade internacional em torno do conhecimento, da salvaguarda e da valorização do património em todo o mundo.

Em cada país, é promovido, anualmente, um programa de atividades a nível nacional, cujo acesso, na grande maioria, é gratuito. A DGPC promoverá a divulgação do programa nacional do DIMS 2017, procurando cativar cada vez mais participantes para estas comemorações.

O espírito aberto do DIMS, tendo por objetivo sensibilizar as comunidades para a valorização do seu Património, abre também a possibilidade de, independentemente do tema específico para este ano, as entidades promotoras das iniciativas poderem apresentar a programação de atividades relacionadas com outros temas patrimoniais.

Programação disponível brevemente.

PROGRAMA CIÊNCIA E CULTURA   C2 DIÁLOGOS CRUZADOS

PROGRAMA CIÊNCIA E CULTURA  - C2 DIÁLOGOS CRUZADOS  

 

Numa Europa e num Mundo em permanente mudança, em que se colocam os desafios caraterísticos das sociedades contemporâneas, é imperativo colocar novas questões e estimular novas abordagens no encontrar de respostas, nas mais diversas áreas.

Na atualidade, é fundamental reunir um vasto e expressivo conjunto de saberes e experiências e promover a aproximação de duas dimensões que consideramos complementares: a cultura e a ciência. A aposta na valorização dos portugueses e na criação de um país com mais e melhor conhecimento é essencial ao desenvolvimento humano, individual e coletivo, e à afirmação de Portugal em território nacional e no espaço internacional.

A valorização da nossa identidade, estimula a necessidade de um trabalho interdisciplinar, necessariamente interministerial, e de um projeto construído em permanente diálogo, entre os diversos organismos e agentes, da ciência e da cultura, nomeadamente através da proposta de ações conjuntas que promovam a implementação de práticas e mecanismos de partilha de conhecimento e de cruzamento de experiências com o objetivo de potenciar saber, promover a divulgação e fruição do nosso legado histórico, artístico e cultural, tornando-o acessível e passível de ser apropriado pelos cidadãos, contribuindo assim para uma cidadania mais ativa.

À dimensão científica acrescenta-se a dimensão artística, no modo como se constrói pensamento e conhecimento e nas estratégias que utilizam – espírito crítico, distanciamento, imaginação, criatividade e inovação. As duas dimensões potenciam-se mutuamente na forma de perspetivar a realidade e de lhe dar sentido. 

O diálogo entre ciência, cultura e expressão artística permitirá uma nova abordagem no espírito das investigações e uma variedade de hipóteses de respostas, mais abrangentes pela sua combinação entre caraterísticas aparentemente opostas: racional e emocional, sistemático e imaginário, acentuando assim o seu caráter revisível, aproximado, criativo e crítico.

Para a prossecução destes objetivos promovemos um conjunto de ações, visando criar pontes e elos entre a ciência e a cultura, através de um programa destinado a provocar “mais ciência na cultura” e “mais cultura na ciência”. 

A par do aprofundamento da dinâmica colaborativa no plano da formação e da investigação, tão essencial e profícuo em todas as dimensões e, em especial, para o conhecimento, interpretação e divulgação da cultura e do património nacionais, promovemos um programa baseado nos princípios da responsabilidade social, cultural e patrimonial das instituições académicas e científicas, visando a criação de ligações entre estas e as instituições de cultura, combinando, a promoção de práticas culturais e de práticas científicas.  

O contexto de rede e articulação, num ambiente colaborativo e de co-criação/produção de conhecimento, considerando o tecido económico, social, artístico e cultural envolvente, estimula a criatividade e influencia a formação e a investigação, promove a partilha de recursos, cria oportunidades de mobilidade e de emprego, contribui para promover o papel de novos agentes culturais e a requalificação de outros atores e espaços de mediação com a sociedade.

O ciclo C2 Diálogos Cruzados é composto por sessões de trabalho visando aproximar e fomentar o diálogo e a criatividade entre agentes e instituições culturais e científicas e de ensino superior, envolvendo associações, empresas, e a administração central e local, por forma a explorar possibilidades e estratégias de colaboração, nomeadamente através da construção conjunta de agendas académicas, científicas e culturais. 

PROGRAMA

Sessão #1 Ciência e Cultura em Digital

15 Março 2017 - Pavilhão do Conhecimento, Lisboa 

Sessão #2 Conservação e Restauro do Património

27 Março - Universidade de Évora 

Sessão #3 Patrimonialização da Ciência e da Cultura

11 Abri l- Instituto Politécnico de Tomar

Sessão #4 Território: Cidades e Urbanismo

18 Abril - Coimbra (local a confirmar) 

Sessão #5 Formação e Mediação

2 Maio - Centro Ciência Viva de Tavira 

Sessão #6 Cultura e Ciência: Comunicação e Divulgação 

23 Maio - Casa das Artes, Porto 

Sessão #7 Artes Performativas 

9 Junho - Instituto Politécnico de Castelo Branco  

 

Mais informações: gabinete.sectes@mctes.gov.pt (A/c: Filipa Alves de Sousa)

Inscrições para participação através de: http://bit.ly/2nsVSsA.

 

Coleção Estudos de Museus

Coleção Estudos de Museus: uma iniciativa editorial da DGPC em parceria com a editora Caleidoscópio

O mercado editorial português está carente de publicações na área dos museus e da Museologia, nomeadamente de estudos de grande fôlego e de sínteses sobre a história e os desafios dos museus portugueses. Contudo, nos últimos anos tem sido numerosa a apresentação de teses de doutoramento sobre museus e Museologia, aprovadas em diversas universidades nacionais. Infelizmente, a maioria dessas teses acaba por ficar reduzida ao conhecimento de um círculo restrito de investigadores e de estudantes, pois não são editadas.

Visando colmatar essa lacuna, a Direção-Geral do Património Cultural e a Editora Caleidoscópio criaram a nova Coleção Estudos de Museus, na qual são editados trabalhos de investigação, aprovados em diversas universidades. Para operacionalizar esta coleção, a Caleidoscópio constituiu um Conselho Editorial, formado por docentes universitários e em que a DGPC está representada.

Para mais informações

Associação Portuguesa de MuseologiaPRÉMIOS APOM 2017

Este ano representa um período de mudança nos Prémios APOM. Após 25 anos e na sequência da celebração dos 50 anos da APOM em 2015, assume-se um formato mais ajustado à valorização dos Museólogos e Museus Portugueses.

A entrega dos Prémios será feita no início de Junho, em local e data a confirmar. Pela primeira vez, será organizada uma conferência nacional, celebrando a festa dos Museus.

A instituição proponente da candidatura deve pagar uma jóia de inscrição que irá custear parte dos custos associados aos Prémios APOM (visitas técnicas, anuário, evento, por exemplo).

Poderão participar todos os profissionais de Museus de nacionalidade portuguesa ou de língua oficial portuguesa.

Candidaturas

Cartaz 1 Jornadas Rede Museus do Algarve1ªS JORNADAS DA REDE DE MUSEU DO ALGARVE

17 Março 2017 - Convento do Espírito Santo - LOULÉ

Constituída em 2007 a Rede de Museus do Algarve (RMA), organização informal que reúne os profissionais da maioria dos museus, e outras estruturas e entidades da área do património cultural e natural da região algarvia, pretende assinalar o seu 10º aniversário através de um conjunto de iniciativas das quais se destaca, no próximo mês de Março, a realização em Loulé das suas primeiras Jornadas designadas “MUSEUS SEM RESERVAS?”.

Entrada Livre sujeita a inscrição | rma.jornadas2017@gmail.com

Apresentação do n.º 4 da RP - Revista Património

Será apresentado no próximo dia 14 de março às 18h30, o número quatro da RP - Revista Património, uma parceria entre a Direção-Geral do Património Cultural e a Imprensa Nacional Casa da Moeda.

Este quarto número dedica o caderno principal ao tema Património e Sociedade, abordado através de oito artigos sob diferentes perspectivas. Pensamento, Projetos, Opinião e Sociedade são as rubricas que completam os cerca de 22 artigos de 31 autores, nas 184 páginas da Revista.

A apresentação será feita através de uma conversa em formato de mesa redonda, centrada no tema do caderno principal, com a intervenção de Carlos Fortuna, João Seixas, Raquel Henriques da Silva e Vítor Oliveira Jorge, moderada por Manuel Lacerda.

Dia Internacional da MulherMensagem da Diretora Geral da UNESCO

Por ocasião do Dia Internacional da Mulher

8 de março de 2017

“A história da luta das mulheres pela igualdade não pertence às feministas – é a história de todos os homens e mulheres que lutam juntos pela defesa dos direitos humanos.” Esta afirmação da militante Gloria Steinem reflete o caráter universal da luta pelos direitos das mulheres e, todos os anos, a 8 de março, reafirmamos o nosso compromisso com a igualdade de género como motor de dignidade para todos.

As desigualdades entre homens e mulheres prejudicam a sociedade em todos os níveis do desenvolvimento. A violência, a injustiça e os estereótipos de que sofrem demasiadas mulheres, na sua vida pessoal ou profissional, fragilizam toda a sociedade e privam-na de um importante potencial de criatividade, de força e de confiança no futuro. No momento em que as Nações Unidas adotaram a ambiciosa agenda 2030 para o desenvolvimento sustentável, a plena autonomização das raparigas e das mulheres é uma das mais poderosas alavancas do desenvolvimento da humanidade que convém aproveitarmos ao máximo.

Trata-se de uma questão de princípio e de bom senso: todos temos interesse em promover a igualdade entre homens e mulheres, em todos os níveis da sociedade: nos campos agrícolas ou nos bancos das assembleias parlamentares, nos conselhos de administração das empresas ou nas ruas das nossas cidades. As mulheres das zonas rurais são diretamente responsáveis pela metade da produção alimentar do mundo – e são elas que, em primeiro lugar, gerem e recolhem os recursos naturais. Noventa por cento das violações no mundo ocorrem precisamente neste caminho que as mulheres percorrem para ir buscar água ou lenha. Dois terços dos adultos analfabetos no mundo são mulheres. Uma em cada três mulheres sofre de violência física na sua esfera privada e a disparidade salarial entre homens e mulheres, pelo mesmo trabalho e com iguais competências, é uma realidade à escala mundial.

À semelhança dos homens, as mulheres devem poder exercer as suas liberdades e fazer as suas próprias escolhas, ser donas do seu corpo e da sua vida, e participar nas decisões que determinam o curso das sociedades. Em todo o lado, mulheres e homens estão determinados em mudar as coisas, denunciar as discriminações, reivindicar uma verdadeira igualdade e é nosso dever apoiá-los e acompanhá-los. Para a UNESCO, o primeiro motor da mudança reside na educação, na formação, e na possibilidade dada a todas as raparigas e mulheres de prosseguirem carreiras profissionais nos domínios da investigação, da política, da cultura. A igualdade reside também na luta contra os preconceitos, nos media e nas representações coletivas, destacando mulheres cientistas, artistas ou politicas que contribuem para o progresso da humanidade em todos os domínios. Por ocasião deste Dia Internacional da Mulher 2017, apelo aos Estados membros para que assumam um compromisso pelos direitos das mulheres, e promovam assim os direitos e a dignidade para todos.

Irina Bokova

BB da BA - fevereiro 2017

Está disponível o Boletim Bibliográfico da Biblioteca de Arqueologia relativo ao mês de fevereiro de 2017.

O mesmo está acessível no seguinte endereço:

http://www.patrimoniocultural.gov.pt/…/bb02fevereiro2017.pdf

 

Convite

Conferência "La Guardia Civil en la proteccion integral del Património Histórico y Cultural Español "

|7 de março | 09h30 | Auditório Teresa Gamito da UAlg

Na sequência do Protocolo de Colaboração entre a Direção Regional de Cultura do Algarve e o Comando Territorial da GNR de Faro, assinado em 20 de maio de 2016, terá lugar dia 7 de Março, pelas 09h30, no Auditório Teresa Gamito da UAlg, em Gambelas, a conferência "La Guardia Civil en la proteccion integral del Património Histórico y Cultural Español " que será proferida pelo Comandante D. Marco Gómez Romera da Guarda Civil de Espanha.

Conhecer a realidade espanhola na salvaguarda do Património Histórico Espanhol através da Guardia Civil que, desde 1985, participa ativamente no controlo e vigilância deste, nos contextos da arqueologia terrestre e subaquática e como procede na investigação dos seus delitos.

Aperfeiçoar a Proteção do Património Cultural Imóvel do Algarve através da concretização de ações de prevenção, vigilância e fiscalização no território com a Guarda Nacional Republicana, os Municípios e a comunidade, são a base para a sua salvaguarda.

A ação de formação em desenvolvimento conta com a participação de vários docentes da Universidade do Algarve e de vários técnicos municipais da área do Património Cultural, assim como, com a participação na leccionação de docentes da Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa, tendo vindo a registar um elevado nível de satisfação e de adesão.

Esta conferência tem a colaboração da Universidade do Algarve e do magnífico Reitor, Professor Dr. António Branco e está aberta a todos aqueles que queiram nela participar.

CartazPrémio CEI-IIT Investigação, Inovação e Território

O Centro de Estudos Ibéricos CEI lança a convocatória à primeira edição do Prémio CEI-IIT Investigação, Inovação e Território, iniciativa que visa distinguir trabalhos, projetos de investigação e outras iniciativas que revistam uma dimensão inovadora, contribuam para divulgar estudos, experiências e boas práticas que concorram para reforçar a coesão, a cooperação e a competitividade dos territórios fronteiriços e de baixa densidade. Esta iniciativa decorre do compromisso do Centro de Estudos Ibéricos com a cooperação e difusão do conhecimento nestes territórios envolvendo investigadores, atores e instituições de diferentes regiões e países que apostam num justo equilíbrio entre a investigação e a ação. 

O Prémio CEI-IIT tem duas modalidades:

1. Apoio a trabalhos e projetos de investigação nas seguintes áreas: Dinâmicas territoriais e iniciativas de desenvolvimento local; Património, recursos do território e riscos naturais; Coesão social e Governança, capacitação e modernização institucional.

2. Apoio a projetos e iniciativas inovadoras de dinamização económica e social, que contribuam para a coesão dos territórios de baixa densidade, que apostem, sobretudo nos seguintes domínios: Valorização e uso eficiente dos recursos endógenos; Tecnologias ao serviço da qualidade de vida e Inovação territorial.

O apoio financeiro a conceder será de 2.500,00€ (dois mil e quinhentos euros) por modalidade. As candidaturas terão de ser submetidas até ao dia 17 de Abril de 2017.

Regulamento e Candidaturas

Concurso lusófono de TrofaCONCURSO LUSÓFONO - Conto Infantil

O principal objetivo deste Concurso organizado pela Câmara da Trofa com o apoio do Camões, Instituto da Cooperação e da Língua, I.P., é defender e consolidar a língua portuguesa como expressão universal da nossa cultura e motivar a produção literária.

Este Concurso literário internacional que aposta na promoção e salvaguarda da literatura infanto-juvenil e da cultura lusófona estende-se a todos os países de língua oficial portuguesa, nomeadamente Portugal, Angola, Brasil, Moçambique, Cabo Verde, S. Tomé e Príncipe, Guiné Bissau e Timor.

Devido à consolidação deste concurso, este ano, os Prémios foram revistos e o Prémio Ilustração está a ganhar protagonismo, face à qualidade e quantidade de trabalhos apresentados, nas últimas edições.

Em paralelo, o Prémio Lusofonia também foi reforçado, para aumentar o incentivo aos escritores que pretendam participar.

Assim, o Prémio Matilde Rosa Araújo terá o valor de 2000 euros, o Prémio Lusofonia terá o valor de 1000 euros e o Prémio Ilustração ascende agora aos 1500 euros.

As obras devem ser enviadas, sob pseudónimo, até ao último dia útil do mês de maio de 2017 e em Portugal, podem fazê-lo, em mão (até às 18h00, do último dia útil do mês de maio de 2017), na Casa da Cultura da Trofa, Avenida D. Diogo Mourato, durante o horário do expediente ou via correio, através de carta registada.

Já nos outros países a entrega dos contos pode ser efetuada no Centro Cultural Português em Luanda (Angola), no Centro Cultural Português em Brasília (Brasil), no Centro Cultural Português na Praia (Cabo Verde), no Centro Cultural Português em Bissau (Guiné-Bissau), no Centro Cultural Português em Maputo (Moçambique), no Centro Cultural Português em S. Tomé (S. Tomé e Príncipe) e no Centro Cultural Português em Díli (Timor).

Este Concurso, cujos vencedores serão revelados nas Comemorações do Aniversário do Município, em novembro, é já considerado uma referência internacional na área da literatura e da criação e expressão literária em português, tendo já publicado inúmeras obras hoje bastante conhecidas junto do público mais jovem.

A Trofa prepara-se para galardoar mais um conto infantil inédito, criado em português, que irá assim, juntar-se aos onze  livros infantis editados pela Câmara Municipal. 

Mais informações aqui

Acesso à Cultura

Prémio Acesso Cultura 2017

Candidaturas até 23 de Abril de 2017.

Através deste prémio, a Acesso Cultura pretende distinguir, divulgar e promover entidades (privadas, públicas, cooperativas, associações e outras) e projectos que se diferenciam pelo desenvolvimento de políticas exemplares e de boas práticas na promoção da melhoria das condições de acesso – nomeadamente físico, social e intelectual – aos espaços culturais e à oferta cultural, em Portugal. Pretende ainda criar exigência junto dos públicos, com vista à melhoria da acessibilidade, assumida como um todo.

Regulamento
Ficha de candidatura

Candidaturas abertas até 23 de Abril de 2017.
Anúncio dos candidatos: 1 de Junho de 2017.
Anúncio do vencedor: na Semana Acesso Cultura, 19 a 25 de Junho de 2017 (dia e local a definir).

Torre cisterna - Fortaleza de SagresDia 17 de fevereiro/2017 – Acesso à Fortaleza de Sagres

No dia 17 de fevereiro/2017, por ocasião da 3.ª etapa da Volta ao Algarve em Bicicleta, a Federação Portuguesa de Ciclismo vai realizar um contrarrelógio individual com partida e chegada no parque de estacionamento da Fortaleza de Sagres.

Por este motivo a Direção Regional de Cultura do Algarve informa que o acesso ao monumento terá de ser efetuado a pé desde a Vila de Sagres.

Para os nossos visitantes, e, em especial, para os adeptos deste desporto, será uma oportunidade para visitar a Fortaleza de Sagres enquanto acompanham a Volta ao Algarve em Bicicleta.

 

SECRETÁRIO DE ESTADO DA CULTURA CONVIDA AGENTES CULTURAIS PARA PARTICIPAREM NA CONSTRUÇÃO DO NOVO MODELO DE APOIO ÀS ARTES

O Ministério da Cultura realizou, de 7 a 10 de fevereiro, sessões de esclarecimento sobre a metodologia para participação dos agentes culturais no processo de revisão do Modelo de Apoio às Artes. As entidades interessadas em participar, que ainda não estejam registadas em www.dgartes.gov.pt, deverão registar-se até 1 de março.

As sessões de esclarecimento, realizadas por todo o país, contaram com a presença do Secretário de Estado da Cultura, Miguel Honrado, da Diretora-Geral das Artes, Paula Varanda, da Subdiretora-Geral das Artes, Ana Senha, e dos Diretores Regionais de Cultura António Ponte (DRC Norte), Celeste Amaro (DRC Centro), Ana Paula Amendoeira (DRC Alentejo) e Alexandra Gonçalves (DRC Algarve). 

Compareceram nas sessões 371 entidades, num total de 531 participantes. 

O processo de auscultação aos agentes culturais tem como objetivo a recolha de informação e contributos sobre os modelos atuais de financiamento e corresponde à segunda fase do projeto de construção do novo modelo de apoio às artes, que se iniciou com a realização de reuniões de trabalho, nas quais participaram estruturas representantes de várias áreas artísticas. 

A recolha de contributos será operacionalizada através de um inquérito dirigido a todas as entidades que desenvolvem atividade artística, quer sejam ou não atualmente beneficiárias de apoio da DGArtes. 

Com coordenação a cargo de uma equipa científica do CIES (Centro de Investigação e Estudos em Sociologia do Instituto Superior de Ciências do Trabalho e da Empresa - Instituto Universitário de Lisboa), o inquérito será disponibilizado na Plataforma Eletrónica de Programas de Apoios da DGArtes, apenas a utilizadores registados, pelo que as entidades interessadas em participar, mas que ainda não estejam registadas, deverão efetuar o seu registo até ao dia 1 de março, em http://www.dgartes.gov.pt.

CartazExposição "Unforeseeable" de Pedro Cabral Santo

Unforeseeable inaugura no próximo dia 17 de fevereiro, pelas 18h, e estará patente até dia 19 de maio.

O CIAC, em parceria com a Direção Regional de Cultura do Algarve, promove a exposição Unforeseeable de Pedro Cabral Santo na casa Rural das Ruínas Romanas de Milreu, em Estoi, Faro. Esta exposição insere-se na programação desenvolvida, em conjunto, pelas duas instituições, com o objetivo de dinamizar a interação entre as comunidades académica e local, estimulando diálogos entre arte e património cultural da região.

A exposição Unforeseeable faz parte de um tríptico iniciado com Unconditionally (Colégio das Artes, 2014) e Absolutely (Galeria VFP, 2015). Nesta mostra, Pedro Cabral Santo desenvolveu um complexo dispositivo, onde envolve inúmeros meios e técnicas que, no seu conjunto, procuram envolver o espectador num ambiente que pretende explorar e abordar o papel dos artistas, e da arte, em torno de problemas, e acontecimentos genéricos, vigorados e ancorados nas nossas sociedades ditas contemporâneas – fenómenos político-sociais relevantes e imprevisíveis relacionados com a incessante disseminação de múltiplas e diferentes linguagens que constituem a essência do nosso mundo contemporâneo, e que se manifestam formalmente por entre a essência pictórica, escultórica e instalatória.