• Estação Romana da Quinta da Abicada

    Estação Romana da Quinta da Abicada

  • Monumentos Megalíticos de Alcalar - edifício tumular "Alcalar 7"

    Monumentos Megalíticos de Alcalar - edifício tumular "Alcalar 7"

  • Monumentos Megalíticos de Alcalar – interior do edifício tumular "Alcalar 7"

    Monumentos Megalíticos de Alcalar – interior do edifício tumular "Alcalar 7"

  • Monumentos Megalíticos de Alcalar – "Um dia na pré-história"

    Monumentos Megalíticos de Alcalar – "Um dia na pré-história"

  • Castelo de Aljezur – Torre semi-cilindrica

    Castelo de Aljezur – Torre semi-cilindrica

  • Castelo de Aljezur – Muralha e acesso

    Castelo de Aljezur – Muralha e acesso

  • Ermida de N.S. de Guadalupe e Casa rural

    Ermida de N.S. de Guadalupe e Casa rural

  • Panorâmica da exposição no interior da Casa rural

    Panorâmica da exposição no interior da Casa rural

  • Castelo de Loulé – "Música nos Monumentos"

    Castelo de Loulé – "Música nos Monumentos"

  • Torreões do Castelo de Loulé

    Torreões do Castelo de Loulé

  • Ruínas Romanas de Milreu – Casa rural

    Ruínas Romanas de Milreu – Casa rural

  • Ruínas Romanas de Milreu – Pormenor de mosaico

    Ruínas Romanas de Milreu – Pormenor de mosaico

  • Castelo de Paderne

    Castelo de Paderne

  • Castelo de Paderne – Ruína da Ermida de N.S. da Assunção

    Castelo de Paderne – Ruína da Ermida de N.S. da Assunção

  • Ruína da Ermida de N.S. da Assunção - "Música nos Monumentos"

    Ruína da Ermida de N.S. da Assunção - "Música nos Monumentos"

  • Fortaleza e Promontório de Sagres

    Fortaleza e Promontório de Sagres

  • Capela de N.S. da Graça – "Música nos Monumentos"

    Capela de N.S. da Graça – "Música nos Monumentos"

Página Inicial Monumentos do Algarve Bons Momentos Promontório de Sagres Prémio Regional Maria Veleda

Cartaz - Saber Sentir - Ruinas Romanas de Milreu 21/4

Cartaz - Filhos do fogo de Deus - Fortaleza de Sagres 19/4

Cartaz Amatores in Situ - Ruinas Romanas de Milreu

A Herança Cultural da Dieta Mediterrânica

O Grande Auditório da Universidade do Algarve acolhe, nos dias 9 e 10 de maio, a Conferência Internacional "A Herança Cultural da Dieta Mediterrânica". 

A Herança Cultural da Dieta Mediterrânica

Esta Conferência Internacional em Portugal, que se realiza no ano da presidência/coordenação portuguesa dos sete Estados e Comunidades Representativas da Dieta Mediterrânica, enquanto PCI da Humanidade na Lista Representativa da UNESCO, pretende analisar as estratégias e experiências de investigação, de preservação e a transmissão dos valores universais da DM às atuais e próximas gerações.

A Conferência centrará a sua atenção prioritária nas experiências de trabalho em curso nos 7 Estados e Comunidades Representativas, sobretudo no âmbito das boas práticas inseridas no Plano de Salvaguarda. Posicionando-se, assim, numa perspetiva aberta aos vários campos do conhecimento, permitindo uma visão abrangente da dieta mediterrânica tanto enquanto modelo cultural e estilo de vida, como padrão alimentar de excelência e de dieta sustentável. 

Esta é dirigida à participação ativa de docentes universitários e investigadores, educadores e professores dos vários graus de ensino, especialistas nos domínios da cultura e do património alimentar, da agricultura e do ambiente, da saúde e nutrição, do ordenamento para a sustentabilidade dos territórios e das comunidades, e de outras áreas do conhecimento, bem como de gestores e dinamizadores de projetos, empresários, estudantes e cidadãos interessados nestas temáticas.

A inscrição deve ser efetuada aqui.

Consultar programa aqui.

Patrimonialização da Ciência e daCultura: Desafios e Oportunidades.

No âmbito do Programa Ciência e Cultura, a Secretária de Estado da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior e o Secretário de Estado da Cultura, convidam para participar na Sessão #3. Patrimonialização da Ciência e daCultura: Desafios e Oportunidades.

O encontro terá lugar no dia 11 de abril, no Instituto Politécnico de Tomar.

Será dedicado a uma reflexão sobre as oportunidades e os desafios da patrimonialização nos domínios da ciência e da cultura. A sessão integrará a apresentação e a discussão de estudos de caso inovadores e projetos de referência promovidos no sector da cultura ou no âmbito das instituições científicas e de ensino superior.
Os encontros têm como público-alvo investigadores, estudantes, gestores de repositórios, profissionais de instituições de ensino superior e de cultura, empresas, entre outros.
Em anexo segue texto de enquadramento. 
Inscrições e detalhes sobre o programa de 11 de abril em http://bit.ly/2owPAfX .
Informações sobre todas as sessões C2 Diálogos Cruzados em www.cienciacultura.pt.

Logo Ministério da Cultura

CULTURA ABRE DUAS LINHAS DE APOIO ÀS ARTES NO VALOR DE 2,5 MILHÕES

A área de Governo da Cultura abriu duas as linhas de financiamento para os agentes culturais em 2017.

Para apoiar projetos de criação, programação e edição o investimento é de 1,5 milhões de euros, que representa um aumento de 64% face a 2016.

Para reforçar a atividade das entidades com apoios plurianuais, que sofreram cortes a partir de 2011, criou-se uma linha de apoio extraordinário de 1 milhão de euros.

Estas linhas, abertas através da Direção-Geral das Artes, concretizam a estratégia definida para 2017 para os apoios às artes, abrindo duas linhas de financiamento em abril.

As duas linhas consubstanciam a política cultural definida pelo Governo para garantir a estabilidade do setor num ano de definição do novo modelo de apoios públicos às artes, que entrará em vigor em 2018.

São dois os objetivos estratégicos das linhas agora anunciadas:

  • Criar condições para que os agentes culturais desenvolvam novas criações e projetos artísticos.
    Esta linha de apoios dirigida a entidades singulares e coletivas permite o financiamento de mais projetos com novos patamares máximos: 40 mil euros ao invés dos 30 mil de 2016. Através do Apoio Direto Pontual, a modalidade mais simplificada ao abrigo do quadro legal vigente, verifica-se um aumento de 64% de verba em relação ao ano anterior (+ 580 mil euros), destinada a projetos de criação, programação e edição.
  • Reforçar as condições de sustentabilidade de entidades já apoiadas pelo Estado com contratos plurianuais e que foram alvo de cortes a partir de 2011.
    Esta linha de financiamento, cujo montante global é de um milhão de euros, é de caracter extraordinário para os apoios de longa duração, bienais, quadrienais ou tripartidos. As entidades com apoios plurianuais em vigor, que tenham sofrido um corte no financiamento atribuído a partir de 2011 poderão solicitar um reforço de apoio financeiro, cujos critérios de atribuição definidos são:
  • Cada entidade pode receber até 25% do valor de apoio em curso;
  • O reforço não pode ultrapassar os 30 mil euros
  • O reforço não pode ultrapassar a verba recebida em 2011.

Estas duas linhas participam de uma estratégia iniciada pelo Governo de valorização do exercício das atividades culturais do universo de entidades apoiadas pela Cultura, que representam uma parte significativa da atividade e do tecido cultural do País.

 

 

DiVaM 2017-  Dinamização e Valorização dos Monumentos

“Lugares de Globalização” é o tema central do programa cultural DiVaM 2017- Dinamização e Valorização dos Monumentos - , que será apresentado em cerimónia pública no Castelo de Paderne, no sábado, dia 8 de abril, pelas 16h. Esta é a 4ª edição do programa de dinamização e fruição cultural, desenvolvido pela Direção Regional de Cultura do Algarve desde 2014, que tem como principal objetivo promover uma dinâmica cultural nos monumentos e aproximar as comunidades do seu património.

São sete os monumentos algarvios integrados neste programa cultural, todos eles afetos à DRCAlg: Ruínas Romanas de Milreu, Castelo de Loulé, Castelo de Paderne, Monumentos Megalíticos de Alcalar, Ermida de Nossa Senhora de Guadalupe, Fortaleza de Sagres e Castelo de Aljezur.

O DiVaM 2017 conta com a parceria de 19 associações culturais, vários municípios algarvios - nomeadamente os municípios de Albufeira, Aljezur, Faro, Loulé, Portimão e Vila do Bispo – e outras entidades, oferecendo às comunidades, residentes e visitantes, um programa diversificado consolidado em 7 ciclos temáticos que integram música, artes performativas, artes visuais, atividades ao ar livre, workshops, palestras.

Cartaz Paderne 8 de abrilA cerimónia de apresentação do DiVaM terá início pelas 16 horas, com a presença da comunicação social e entidades parceiras, seguida pelas 17 horas de “Tantos Mundos num só lugar – Pátria a 10 vozes”, um trajeto de globalização, através da música em língua portuguesa, cantada e narrada pelas vozes do Coral Feminino Outras Vozes, concerto organizado pela Associação Cultural Música XXI.

Cartaz Dia Internacional dos Monumentos e Sítios 2017

Dia Internacional dos Monumentos e Sítios 2017

Programção da Direção Regional de Cultura do Algarve

8 de abril 

- Ruínas Romanas de Milreu 
às 18h

Abertura do ciclo de palestras "Amatores in situ" - O Mundo antigo visto por aqueles que o amam" - "O que faz a poesia portuguesa contemporânea com os antigos?" por Ana Isabel Soares (leitora, nefelibata, professora da Universidade do Algarve).

Organização: Faculdade de Ciências Humanas e Sociais da Universidade do Algarve e 
Integrado – no DiVaM – Dinamização e Valorização dos Monumentos

19 de Abril

- Fortaleza de Sagres
às 10h30

"Os Filhos do Fogo de Deus" - crónicas de uma história de opressão racial - Performance em formato de sessão de narração oral

Organização - Associação Partilha Alternativa 
Integrado – no DiVaM – Dinamização e Valorização dos Monumentos

22 de Abril

- Fortaleza de Sagres
às 16h30

Igreja de Nª Sra da Graça - Projeto Video Lucem- Exibição dos filmes "Simão do Deserto" de Luís Buñel e "Ascenção" de Pedro Peralta.

Organização - Cineclube de Faro e Diocese do Algarve
Integrado – no 365 Algarve

 

- Monumentos Megalíticos de Alcalar
das 14h às 22h30

"Um Dia e uma Noite na Pré História" - Recriação histórica e ateliers temáticos

Organização - Museu Municipal de Portimão /Grupo de amigos do Museu de Portimão
Integrado – no DiVaM – Dinamização e Valorização dos Monumentos

 

- Ruínas Romanas de Milreu 
às 14h

“Desenhar Arqueologia em Milreu”- Através de workshops de desenho arqueólogico abertos a todo o público, de descoberta de uma fase dos trabalhos arqueológicos. Permite ter um melhor entendimento das estruturas arqueológicas, tal como um puzzle, como é que elas se ligam e conectam no ambiente das Ruínas Romanas

Organização – ARCHAEOFACTORY
Integrado – no DiVaM – Dinamização e Valorização dos Monumentos

_________________________________________________________________

A Direção-Geral do Património Cultural, coordenadora nacional do DIMS 2017, em colaboração com o ICOMOS Portugal, convida as entidades públicas e privadas a associarem-se a esta comemoração através da organização de iniciativas dirigidas ao público.

Em 2017, o tema proposto para o DIMS pelo ICOMOS Internacional é PATRIMÓNIO CULTURAL E TURISMO SUSTENTÁVEL.

Numa época de marcada globalização económico-cultural, de profundas transformações sociais e do aumento exponencial do número de turistas, a salvaguarda, estudo, interpretação e divulgação do património é um factor fundamental para a afirmação da diversidade cultural dos territórios e dos países, constituindo igualmente um elemento chave  para o reforço do conhecimento e do respeito entre os povos. A DGPC promove a divulgação deste tema com a finalidade de celebrar os benefícios de uma relação saudável entre o turismo e o património cultural.

Dia Internacional dos Monumentos e Sítios (DIMS), foi criado pelo Conselho Internacional dos Monumentos e Sítios (ICOMOS) a 18 de abril de 1982, e aprovado pela UNESCO no ano seguinte, com o objetivo de sensibilizar os cidadãos para a diversidade e vulnerabilidade do património, bem como para a necessidade da sua proteção e valorização. Celebrando o património nacional, comemora também a solidariedade internacional em torno do conhecimento, da salvaguarda e da valorização do património em todo o mundo.

Em cada país, é promovido, anualmente, um programa de atividades a nível nacional, cujo acesso, na grande maioria, é gratuito. A DGPC promoverá a divulgação do programa nacional do DIMS 2017, procurando cativar cada vez mais participantes para estas comemorações.

O espírito aberto do DIMS, tendo por objetivo sensibilizar as comunidades para a valorização do seu Património, abre também a possibilidade de, independentemente do tema específico para este ano, as entidades promotoras das iniciativas poderem apresentar a programação de atividades relacionadas com outros temas patrimoniais.

Programação disponível brevemente.

PROGRAMA CIÊNCIA E CULTURA   C2 DIÁLOGOS CRUZADOS

PROGRAMA CIÊNCIA E CULTURA  - C2 DIÁLOGOS CRUZADOS  

 

Numa Europa e num Mundo em permanente mudança, em que se colocam os desafios caraterísticos das sociedades contemporâneas, é imperativo colocar novas questões e estimular novas abordagens no encontrar de respostas, nas mais diversas áreas.

Na atualidade, é fundamental reunir um vasto e expressivo conjunto de saberes e experiências e promover a aproximação de duas dimensões que consideramos complementares: a cultura e a ciência. A aposta na valorização dos portugueses e na criação de um país com mais e melhor conhecimento é essencial ao desenvolvimento humano, individual e coletivo, e à afirmação de Portugal em território nacional e no espaço internacional.

A valorização da nossa identidade, estimula a necessidade de um trabalho interdisciplinar, necessariamente interministerial, e de um projeto construído em permanente diálogo, entre os diversos organismos e agentes, da ciência e da cultura, nomeadamente através da proposta de ações conjuntas que promovam a implementação de práticas e mecanismos de partilha de conhecimento e de cruzamento de experiências com o objetivo de potenciar saber, promover a divulgação e fruição do nosso legado histórico, artístico e cultural, tornando-o acessível e passível de ser apropriado pelos cidadãos, contribuindo assim para uma cidadania mais ativa.

À dimensão científica acrescenta-se a dimensão artística, no modo como se constrói pensamento e conhecimento e nas estratégias que utilizam – espírito crítico, distanciamento, imaginação, criatividade e inovação. As duas dimensões potenciam-se mutuamente na forma de perspetivar a realidade e de lhe dar sentido. 

O diálogo entre ciência, cultura e expressão artística permitirá uma nova abordagem no espírito das investigações e uma variedade de hipóteses de respostas, mais abrangentes pela sua combinação entre caraterísticas aparentemente opostas: racional e emocional, sistemático e imaginário, acentuando assim o seu caráter revisível, aproximado, criativo e crítico.

Para a prossecução destes objetivos promovemos um conjunto de ações, visando criar pontes e elos entre a ciência e a cultura, através de um programa destinado a provocar “mais ciência na cultura” e “mais cultura na ciência”. 

A par do aprofundamento da dinâmica colaborativa no plano da formação e da investigação, tão essencial e profícuo em todas as dimensões e, em especial, para o conhecimento, interpretação e divulgação da cultura e do património nacionais, promovemos um programa baseado nos princípios da responsabilidade social, cultural e patrimonial das instituições académicas e científicas, visando a criação de ligações entre estas e as instituições de cultura, combinando, a promoção de práticas culturais e de práticas científicas.  

O contexto de rede e articulação, num ambiente colaborativo e de co-criação/produção de conhecimento, considerando o tecido económico, social, artístico e cultural envolvente, estimula a criatividade e influencia a formação e a investigação, promove a partilha de recursos, cria oportunidades de mobilidade e de emprego, contribui para promover o papel de novos agentes culturais e a requalificação de outros atores e espaços de mediação com a sociedade.

O ciclo C2 Diálogos Cruzados é composto por sessões de trabalho visando aproximar e fomentar o diálogo e a criatividade entre agentes e instituições culturais e científicas e de ensino superior, envolvendo associações, empresas, e a administração central e local, por forma a explorar possibilidades e estratégias de colaboração, nomeadamente através da construção conjunta de agendas académicas, científicas e culturais. 

PROGRAMA

Sessão #1 Ciência e Cultura em Digital

15 Março 2017 - Pavilhão do Conhecimento, Lisboa 

Sessão #2 Conservação e Restauro do Património

27 Março - Universidade de Évora 

Sessão #3 Patrimonialização da Ciência e da Cultura

11 Abri l- Instituto Politécnico de Tomar

Sessão #4 Território: Cidades e Urbanismo

18 Abril - Coimbra (local a confirmar) 

Sessão #5 Formação e Mediação

2 Maio - Centro Ciência Viva de Tavira 

Sessão #6 Cultura e Ciência: Comunicação e Divulgação 

23 Maio - Casa das Artes, Porto 

Sessão #7 Artes Performativas 

9 Junho - Instituto Politécnico de Castelo Branco  

 

Mais informações: gabinete.sectes@mctes.gov.pt (A/c: Filipa Alves de Sousa)

Inscrições para participação através de: http://bit.ly/2nsVSsA.

 

Coleção Estudos de Museus

Coleção Estudos de Museus: uma iniciativa editorial da DGPC em parceria com a editora Caleidoscópio

O mercado editorial português está carente de publicações na área dos museus e da Museologia, nomeadamente de estudos de grande fôlego e de sínteses sobre a história e os desafios dos museus portugueses. Contudo, nos últimos anos tem sido numerosa a apresentação de teses de doutoramento sobre museus e Museologia, aprovadas em diversas universidades nacionais. Infelizmente, a maioria dessas teses acaba por ficar reduzida ao conhecimento de um círculo restrito de investigadores e de estudantes, pois não são editadas.

Visando colmatar essa lacuna, a Direção-Geral do Património Cultural e a Editora Caleidoscópio criaram a nova Coleção Estudos de Museus, na qual são editados trabalhos de investigação, aprovados em diversas universidades. Para operacionalizar esta coleção, a Caleidoscópio constituiu um Conselho Editorial, formado por docentes universitários e em que a DGPC está representada.

Para mais informações

Associação Portuguesa de MuseologiaPRÉMIOS APOM 2017

Este ano representa um período de mudança nos Prémios APOM. Após 25 anos e na sequência da celebração dos 50 anos da APOM em 2015, assume-se um formato mais ajustado à valorização dos Museólogos e Museus Portugueses.

A entrega dos Prémios será feita no início de Junho, em local e data a confirmar. Pela primeira vez, será organizada uma conferência nacional, celebrando a festa dos Museus.

A instituição proponente da candidatura deve pagar uma jóia de inscrição que irá custear parte dos custos associados aos Prémios APOM (visitas técnicas, anuário, evento, por exemplo).

Poderão participar todos os profissionais de Museus de nacionalidade portuguesa ou de língua oficial portuguesa.

Candidaturas

Cartaz 1 Jornadas Rede Museus do Algarve1ªS JORNADAS DA REDE DE MUSEU DO ALGARVE

17 Março 2017 - Convento do Espírito Santo - LOULÉ

Constituída em 2007 a Rede de Museus do Algarve (RMA), organização informal que reúne os profissionais da maioria dos museus, e outras estruturas e entidades da área do património cultural e natural da região algarvia, pretende assinalar o seu 10º aniversário através de um conjunto de iniciativas das quais se destaca, no próximo mês de Março, a realização em Loulé das suas primeiras Jornadas designadas “MUSEUS SEM RESERVAS?”.

Entrada Livre sujeita a inscrição | rma.jornadas2017@gmail.com

Apresentação do n.º 4 da RP - Revista Património

Será apresentado no próximo dia 14 de março às 18h30, o número quatro da RP - Revista Património, uma parceria entre a Direção-Geral do Património Cultural e a Imprensa Nacional Casa da Moeda.

Este quarto número dedica o caderno principal ao tema Património e Sociedade, abordado através de oito artigos sob diferentes perspectivas. Pensamento, Projetos, Opinião e Sociedade são as rubricas que completam os cerca de 22 artigos de 31 autores, nas 184 páginas da Revista.

A apresentação será feita através de uma conversa em formato de mesa redonda, centrada no tema do caderno principal, com a intervenção de Carlos Fortuna, João Seixas, Raquel Henriques da Silva e Vítor Oliveira Jorge, moderada por Manuel Lacerda.

Dia Internacional da MulherMensagem da Diretora Geral da UNESCO

Por ocasião do Dia Internacional da Mulher

8 de março de 2017

“A história da luta das mulheres pela igualdade não pertence às feministas – é a história de todos os homens e mulheres que lutam juntos pela defesa dos direitos humanos.” Esta afirmação da militante Gloria Steinem reflete o caráter universal da luta pelos direitos das mulheres e, todos os anos, a 8 de março, reafirmamos o nosso compromisso com a igualdade de género como motor de dignidade para todos.

As desigualdades entre homens e mulheres prejudicam a sociedade em todos os níveis do desenvolvimento. A violência, a injustiça e os estereótipos de que sofrem demasiadas mulheres, na sua vida pessoal ou profissional, fragilizam toda a sociedade e privam-na de um importante potencial de criatividade, de força e de confiança no futuro. No momento em que as Nações Unidas adotaram a ambiciosa agenda 2030 para o desenvolvimento sustentável, a plena autonomização das raparigas e das mulheres é uma das mais poderosas alavancas do desenvolvimento da humanidade que convém aproveitarmos ao máximo.

Trata-se de uma questão de princípio e de bom senso: todos temos interesse em promover a igualdade entre homens e mulheres, em todos os níveis da sociedade: nos campos agrícolas ou nos bancos das assembleias parlamentares, nos conselhos de administração das empresas ou nas ruas das nossas cidades. As mulheres das zonas rurais são diretamente responsáveis pela metade da produção alimentar do mundo – e são elas que, em primeiro lugar, gerem e recolhem os recursos naturais. Noventa por cento das violações no mundo ocorrem precisamente neste caminho que as mulheres percorrem para ir buscar água ou lenha. Dois terços dos adultos analfabetos no mundo são mulheres. Uma em cada três mulheres sofre de violência física na sua esfera privada e a disparidade salarial entre homens e mulheres, pelo mesmo trabalho e com iguais competências, é uma realidade à escala mundial.

À semelhança dos homens, as mulheres devem poder exercer as suas liberdades e fazer as suas próprias escolhas, ser donas do seu corpo e da sua vida, e participar nas decisões que determinam o curso das sociedades. Em todo o lado, mulheres e homens estão determinados em mudar as coisas, denunciar as discriminações, reivindicar uma verdadeira igualdade e é nosso dever apoiá-los e acompanhá-los. Para a UNESCO, o primeiro motor da mudança reside na educação, na formação, e na possibilidade dada a todas as raparigas e mulheres de prosseguirem carreiras profissionais nos domínios da investigação, da política, da cultura. A igualdade reside também na luta contra os preconceitos, nos media e nas representações coletivas, destacando mulheres cientistas, artistas ou politicas que contribuem para o progresso da humanidade em todos os domínios. Por ocasião deste Dia Internacional da Mulher 2017, apelo aos Estados membros para que assumam um compromisso pelos direitos das mulheres, e promovam assim os direitos e a dignidade para todos.

Irina Bokova

BB da BA - fevereiro 2017

Está disponível o Boletim Bibliográfico da Biblioteca de Arqueologia relativo ao mês de fevereiro de 2017.

O mesmo está acessível no seguinte endereço:

http://www.patrimoniocultural.gov.pt/…/bb02fevereiro2017.pdf