• Estação Romana da Quinta da Abicada

    Estação Romana da Quinta da Abicada

  • Monumentos Megalíticos de Alcalar - edifício tumular "Alcalar 7"

    Monumentos Megalíticos de Alcalar - edifício tumular "Alcalar 7"

  • Monumentos Megalíticos de Alcalar – interior do edifício tumular "Alcalar 7"

    Monumentos Megalíticos de Alcalar – interior do edifício tumular "Alcalar 7"

  • Monumentos Megalíticos de Alcalar – "Um dia na pré-história"

    Monumentos Megalíticos de Alcalar – "Um dia na pré-história"

  • Castelo de Aljezur – Torre semi-cilindrica

    Castelo de Aljezur – Torre semi-cilindrica

  • Castelo de Aljezur – Muralha e acesso

    Castelo de Aljezur – Muralha e acesso

  • Ermida de N.S. de Guadalupe e Casa rural

    Ermida de N.S. de Guadalupe e Casa rural

  • Panorâmica da exposição no interior da Casa rural

    Panorâmica da exposição no interior da Casa rural

  • Castelo de Loulé – "Música nos Monumentos"

    Castelo de Loulé – "Música nos Monumentos"

  • Torreões do Castelo de Loulé

    Torreões do Castelo de Loulé

  • Ruínas Romanas de Milreu – Casa rural

    Ruínas Romanas de Milreu – Casa rural

  • Ruínas Romanas de Milreu – Pormenor de mosaico

    Ruínas Romanas de Milreu – Pormenor de mosaico

  • Castelo de Paderne

    Castelo de Paderne

  • Castelo de Paderne – Ruína da Ermida de N.S. da Assunção

    Castelo de Paderne – Ruína da Ermida de N.S. da Assunção

  • Ruína da Ermida de N.S. da Assunção - "Música nos Monumentos"

    Ruína da Ermida de N.S. da Assunção - "Música nos Monumentos"

  • Fortaleza e Promontório de Sagres

    Fortaleza e Promontório de Sagres

  • Capela de N.S. da Graça – "Música nos Monumentos"

    Capela de N.S. da Graça – "Música nos Monumentos"

Página Inicial Monumentos do Algarve Bons Momentos Promontório de Sagres Prémio Regional Maria Veleda

Em Destaque

Torre cisterna - Fortaleza de SagresDia 17 de fevereiro/2017 – Acesso à Fortaleza de Sagres

No dia 17 de fevereiro/2017, por ocasião da 3.ª etapa da Volta ao Algarve em Bicicleta, a Federação Portuguesa de Ciclismo vai realizar um contrarrelógio individual com partida e chegada no parque de estacionamento da Fortaleza de Sagres.

Por este motivo a Direção Regional de Cultura do Algarve informa que o acesso ao monumento terá de ser efetuado a pé desde a Vila de Sagres.

Para os nossos visitantes, e, em especial, para os adeptos deste desporto, será uma oportunidade para visitar a Fortaleza de Sagres enquanto acompanham a Volta ao Algarve em Bicicleta.

 

CartazExposição "Unforeseeable" de Pedro Cabral Santo

Unforeseeable inaugura no próximo dia 17 de fevereiro, pelas 18h, e estará patente até dia 19 de maio.

O CIAC, em parceria com a Direção Regional de Cultura do Algarve, promove a exposição Unforeseeable de Pedro Cabral Santo na casa Rural das Ruínas Romanas de Milreu, em Estoi, Faro. Esta exposição insere-se na programação desenvolvida, em conjunto, pelas duas instituições, com o objetivo de dinamizar a interação entre as comunidades académica e local, estimulando diálogos entre arte e património cultural da região.

A exposição Unforeseeable faz parte de um tríptico iniciado com Unconditionally (Colégio das Artes, 2014) e Absolutely (Galeria VFP, 2015). Nesta mostra, Pedro Cabral Santo desenvolveu um complexo dispositivo, onde envolve inúmeros meios e técnicas que, no seu conjunto, procuram envolver o espectador num ambiente que pretende explorar e abordar o papel dos artistas, e da arte, em torno de problemas, e acontecimentos genéricos, vigorados e ancorados nas nossas sociedades ditas contemporâneas – fenómenos político-sociais relevantes e imprevisíveis relacionados com a incessante disseminação de múltiplas e diferentes linguagens que constituem a essência do nosso mundo contemporâneo, e que se manifestam formalmente por entre a essência pictórica, escultórica e instalatória.

 

ORÇAMENTO PARTICIPATIVO PORTUGAL

RECOLHE IDEIAS E PROPOSTAS NO ALGARVE

A região do Algarve vai receber quatro sessões de divulgação e recolha de propostas do Orçamento Participativo Portugal (OPP), a terem lugar em São Brás de Alportel, Vila Real de Santo António, Portimão e Faro e pretendem divulgar a iniciativa do Governo que permitirá aos cidadãos determinar o destino de 3 milhões de euros do Orçamento de Estado.
A primeira fase do OPP, em que estão a ser promovidos Encontros Participativos nos sete territórios para apresentação, discussão e elaboração de propostas, decorre até dia 21 de Abril. No Algarve, estão previstas quatro sessões com a presença de Graça Fonseca, Secretária de Estado Adjunta e da Modernização Administrativa.

Encontros Participativos no Algarve - Calendário

Dia 15 de fevereiro:
São Brás de Alportel - às 17:00 horas, no Salão Nobre dos Paços do Concelho;
Vila Real de Santo António - às 21:00 horas, na Biblioteca Municipal Vicente Campinas;

Dia 16 de fevereiro:
Portimão - às 18:30 horas, no Café Concerto do Tempo – Teatro Muncipal;

Dia 17 de fevereiro:
Faro - às 18:30 horas, no Club Farense.

O Orçamento Participativo Portugal é aberto a todos os cidadãos portugueses com idade igual ou superior a 18 anos, que podem apresentar propostas de âmbito regional ou nacional em domínios pré-selecionados e, mais tarde, votar no projeto que gostariam de ver concretizado. 
Nesta primeira edição do OPP, são aceites propostas nas áreas da cultura, ciência, educação, formação de adultos e agricultura, no Continente, e nas áreas da justiça e da administração interna, nas Regiões Autónomas. Haverá diferentes grupos de propostas, um por cada região NUT II – Algarve, Alentejo, Lisboa e Vale do Tejo, Centro e Norte – e por cada Região Autónoma.
Entre 24 de Abril e 12 de Maio, decorrerá a fase de análise técnica das propostas e sua transformação em projetos por cada um dos Ministérios e Secretarias Regionais e pelos respetivos serviços, com competências nas áreas das propostas.
O período de votação pelos cidadãos decorrerá entre 1 de Junho e 15 de Setembro, já depois de observado um período para reclamações dos proponentes face à lista provisória de projetos (entre 15 e 31 de Maio).

 

SECRETÁRIO DE ESTADO DA CULTURA CONVIDA AGENTES CULTURAIS PARA PARTICIPAREM NA CONSTRUÇÃO DO NOVO MODELO DE APOIO ÀS ARTES

O Ministério da Cultura realizou, de 7 a 10 de fevereiro, sessões de esclarecimento sobre a metodologia para participação dos agentes culturais no processo de revisão do Modelo de Apoio às Artes. As entidades interessadas em participar, que ainda não estejam registadas em www.dgartes.gov.pt, deverão registar-se até 1 de março.

As sessões de esclarecimento, realizadas por todo o país, contaram com a presença do Secretário de Estado da Cultura, Miguel Honrado, da Diretora-Geral das Artes, Paula Varanda, da Subdiretora-Geral das Artes, Ana Senha, e dos Diretores Regionais de Cultura António Ponte (DRC Norte), Celeste Amaro (DRC Centro), Ana Paula Amendoeira (DRC Alentejo) e Alexandra Gonçalves (DRC Algarve). 

Compareceram nas sessões 371 entidades, num total de 531 participantes. 

O processo de auscultação aos agentes culturais tem como objetivo a recolha de informação e contributos sobre os modelos atuais de financiamento e corresponde à segunda fase do projeto de construção do novo modelo de apoio às artes, que se iniciou com a realização de reuniões de trabalho, nas quais participaram estruturas representantes de várias áreas artísticas. 

A recolha de contributos será operacionalizada através de um inquérito dirigido a todas as entidades que desenvolvem atividade artística, quer sejam ou não atualmente beneficiárias de apoio da DGArtes. 

Com coordenação a cargo de uma equipa científica do CIES (Centro de Investigação e Estudos em Sociologia do Instituto Superior de Ciências do Trabalho e da Empresa - Instituto Universitário de Lisboa), o inquérito será disponibilizado na Plataforma Eletrónica de Programas de Apoios da DGArtes, apenas a utilizadores registados, pelo que as entidades interessadas em participar, mas que ainda não estejam registadas, deverão efetuar o seu registo até ao dia 1 de março, em http://www.dgartes.gov.pt.

Logo

RODA DOS ALIMENTOS MEDITERRÂNICA INTERATIVA

A DGS e o PNPAS, em colaboração com o Grupo de Acompanhamento para a Salvaguarda e Promoção da Dieta Mediterrânica, apresentam a nova Roda dos Alimentos Mediterrânica, agora numa versão interativa. Esta ferramenta pedagógica, explica os vários conceitos ligados ao padrão alimentar mediterrânico tendo como base a Roda dos Alimentos Portuguesa. Ao longo da mesma, é também possível explorar os vários grupos de alimentos que compõem esta nova Roda, em conjunto com o número de porções diariamente recomendadas. São apresentados exemplos práticos e visualmente atrativos, salientando não só a componente alimentar, mas também os elementos inerentes estilo de vida mediterrânico.

Pretnde-se 

que a nova Roda dos Alimentos interativa possa ser utilizada pelos profissionais da saúde e educação e disponibilizada em unidades de saúde, assim como no contexto de sala de aula como uma ferramenta para auxiliar os professores na abordagem ao tema.

A versão interativa desta ferramenta encontra-se disponível em www.alimentacaosaudavel.dgs.pt e pode ser gratuitamente acedida e utilizada por todos.

Esta ferramenta interativa, concebida pelo PNPAS e Active Media, utilizou como referência o conceito original criado por investigadores da Faculdade de Ciências da Nutrição e Alimentação da Universidade do Porto com o apoio da Direção-Geral do Consumidor.

LogoAl-Madan 

Uma publicação periódica editada pelo Centro de Arqueologia de Almada, que se dedica à promoção da cultura científica nas áreas da Arqueologia, Património e História local.

O Centro de Arqueologia de Almada disponibiliza uma base de dados georreferenciada de sítios arqueológicos portugueses com condições de visita.

Aqui

logo

SECRETÁRIO DE ESTADO DA CULTURA PERCORRE O PAÍS PARA SESSÕES DE TRABALHO NO ÂMBITO DO MODELO DE APOIO ÀS ARTES

O Ministério da Cultura está a desenvolver um trabalho que tem por missão a revisão do Modelo de Apoio às Artes em Portugal. Dias 7, 8 e 10 de fevereiro realizar-se-ão as sessões de informação e esclarecimento nas várias Direções Regionais de Cultura e Direção-Geral das Artes, para enquadramento e apresentação da metodologia para a participação dos agentes culturais neste processo.

Estará presente o Senhor Secretário de Estado da Cultura, os Diretores Regionais de Cultura e a Diretora-Geral das Artes. Cada sessão tem a duração de 2h.

O processo de auscultação aos agentes culturais corresponde à segunda fase do projeto de construção do modelo de apoio às artes e tem como objetivo a recolha de informação e de contributos do setor sobre os modelos de financiamento atuais, quer sejam ou não beneficiários do Estado.

Os profissionais que queiram participar, individualmente ou em representação de entidades coletivas que desenvolvem atividade artística, devem confirmar presença na sessão mais próxima da sua sede de atividade, confirmando presença até dia 6 de fevereiro para a respetiva Direção Regional.

Contamos com a Vossa participação.

--------------------

SESSÕES DE TRABALHO

Terça-feira, dia 7 de fevereiro de 2017

10h00-12h00 
Évora - DRC Alentejo, na Casa de Burgos
confirmar presença para: carlapestana@cultura-alentejo.pt

15h00-17h00 
Faro - DRC Algarve, na sede da Direção Regional de Cultura 
confirmar presença para: bserra@cultalg.pt


Quarta-feira, dia 8 de fevereiro de 2017

10h00-12h00 
Coimbra - DRC Centro, no Mosteiro de Santa Clara-a-Velha 
confirmar presença para: icesar@drcc.gov.pt e celesteamaro@drcc.gov.pt

15h00-17h00 
Porto - DRC Norte, na Casa das Artes 
confirmar presença para: nalmeida@culturanorte.pt

Sexta-feira, dia 10 de fevereiro de 2017

11h00-13h00 
Lisboa - Direção-Geral das Artes / DRC LVT, no Auditório da Torre do Tombo
confirmar presença para: info@dgartes.pt

Milrue

INVESTIMENTO EM PATRIMÓNIO CLASSIFICADO REFORÇADO COM APROVAÇÃO DAS CANDIDATURAS AO PO CRESC ALGARVE 2020

A preservação, reabilitação e valorização do património cultural têm significativa relevância para a promoção e afirmação da identidade cultural da região do Algarve.

Conservar e restaurar o património implica a utilização adequada de práticas e métodos de trabalho em constante evolução para legar às gerações vindouras a nossa história.

O Plano Operacional CRESC Algarve 2020 prevê Investimentos destinados à Conservação, Proteção, Promoção e Desenvolvimento do Património Cultural e Natural (PI-6.3, Eixo Prioritário 4 – Reforçar a Competitividade do Território), constituindo uma oportunidade de atuar positivamente na vertente de conservação e restauro em diversos Monumentos classificados de Grau Nacional da região e neste contexto, a Direção Regional de Cultura do Algarve candidatou e viu aprovadas 5 candidaturas.

Representando um investimento total de €4.294.006,00 e tendo como investimento nacional e privado um total de € 2.316.346,00. As ações a desenvolver incidem sobre:

  • Castelo de Paderne – Torre Albarrã e Muralhas: Projeto de Conservação e Restauro dos Módulos de Taipa Almóada
  • Sé de Silves – Intervenção de Conservação e Restauro no Portal Principal
  • Monumento Megalíticos de Alcalar – Reabilitação do Monumento 9 e Área Envolvente
  • Ruínas Romanas de Milreu – Programa de Conservação e Requalificação
  • Fortaleza de Sagres – Centro Expositivo Multimédia dos Descobrimentos Portugueses

A aprovação destas candidaturas vem desta forma recompensar o esforço da pequena equipa de trabalho da Direção Regional de Cultura do Algarve que tem colocado todos os esforços na angariação de financiamentos para a salvaguarda e valorização do património classificado que lhe está afecto.

A DRCAlg integra também outras candidaturas conjuntas em que a dimensão imaterial assume particular relevância e cuja apreciação decorre, como é o caso da “Semana Cultural dedicada aos Lugares de Globalização” com a Associação Vicentina, estando a preparar também uma candidatura conjunta com vários parceiros da região sob a égide da salvaguarda e valorização da Dieta Mediterrânica.

Cientes que as necessidades ultrapassam sempre as disponibilidades, temos vindo anualmente a harmonizar as necessidades de intervenção no património e a identificar prioridades, certos de que a competitividade do território do Algarve está também relacionada com os recursos culturais e patrimoniais, e com a capacidade das várias entidades públicas criarem sinergias de investimento nestes domínios.

cartaz

Quem é Quem na Museologia Portuguesa

Corresponde a um desafio lançado pela Linha de Investigação “Estudos de Museus” (MuST) do Instituto de História da Arte da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa (FCSH-NOVA).

Responder a esse repto envolve a criação de um dicionário de museólogos portugueses, balizado entre o século XVIII e os anos 60 do século XX que, numa primeira fase, terá edição digital.

Esta iniciativa visa ampliar e sistematizar o conhecimento sobre as personalidades ligadas à museologia portuguesa, em áreas tão diversas como a arte, a ciência, a antropologia ou a arqueologia, tendo em consideração os contextos históricos que as envolveram.

PRAZO LIMITE DE SUBMISSÃO: 24 de Março de 2017

Os interessados deverão enviar um resumo de cada uma das entradas biográficas propostas (máx. de 250 palavras), num ficheiro WORD, em português, acompanhado de uma breve nota curricular (máx. de 150 palavras), para o email quemequem.iha.must@gmail.com.

Contacto: Joana d’Oliva Monteiro (quemequem.iha.must@gmail.com )

Cartaz “A arte do latoeiro” será transmitida em curso prático

“A arte do latoeiro” é uma iniciativa da Proactivetur/Projecto TASA em parceria da Câmara Municipal de Silves e a Junta de Freguesia de S. Bartolomeu de Messines. Beneficia do apoio da EDP sendo um dos nove projetos de cultura popular portuguesa vencedores da 2ª edição do Programa Tradições.

A missão deste projeto, a realizar durante um ano, é reativar o ofício através da formação de futuros latoeiros, de ações de envolvimento da comunidade, do registo documental e desenvolvimento de produtos que incorporem soluções de design e inovação.

formação será realizada no modelo de transmissão de saberes mestre-aprendiz centrada no domínio da técnica tradicional e na integração de novas abordagens com recurso à inovação.

Consulte para mais informações

NOTA ESTATÍSTICA |CULTURA

A NOTA ESTATÍSTICA |CULTURA pretende abrir um espaço que reúne, trata e disponibiliza um acervo de informação e dados estatísticos de reconhecido interesse para os diversos agentes respeitantes às principais tendências e à conjuntura das atividades do setor cultural, e bem assim constituir-se como um meio de comunicação da informação estatística acedida pelo GEPAC a nível nacional e internacional.

A publicação, de periodicidade trimestral, segue um formato próximo de uma "Ficha de leitura" sobre documentos com conteúdo estatístico publicados por organizações nacionais e internacionais, fornecendo sínteses e /ou análises interpretativas, num estilo que se pretende acessível ao público em geral. 

Para o primeiro número da NOTA ESTATÍSTICA |CULTURA a escolha recaiu sobre a terceira edição da publicação Culture Statistics, produzida pelo Eurostat, versando em particular sobre a participação cultural dos cidadãos nas atividades relacionadas com os “hábitos de leitura”, “idas ao cinema”, ”assistência a espectáculos ao vivo” e “visita a sítios culturais”. A análise realizada centra-se nos resultados obtidos para Portugal, embora numa perspectiva comparada com os dados estatísticos dos restantes países, filtrados pelas variáveis género, grupo etário e nível de escolaridade.

Nota Estastica

Logo GEPAC

NOTA DE IMPRENSA

PORTUGAL COMO DESTINO PREFERENCIAL PARA FILMAGENS INTERNACIONAIS

Decreto-lei de Incentivo à Produção Cinematográfica em Portugal foi hoje aprovado em Conselho de Ministros. 

O Ministério da Cultura tem por objetivo implementar uma estratégia de incentivo e de estímulo ao Cinema em Portugal que contribua para o crescimento e valorização do setor, no país e internacionalmente.

O decreto-lei hoje aprovado em Conselho de Ministros pretende promover a “marca” Portugal como um destino, artístico e economicamente mais atrativo, para empresas cinematográficas, através da captação de mais produções estrangeiras para o território nacional.

Considerando o Cinema um ativo nacional e sendo Portugal um país com características naturais excecionais em termos cinematográficos, o Governo aposta agora nesta medida que irá, simultaneamente, atrair mais produções estrangeiras e gerar impacto direto e indireto no crescimento da economia nacional, através da indústria cinematográfica, do turismo e de outras fontes e investimento no desenvolvimento local.

Face à redução de produções estrangeiras registadas nos últimos anos, esta medida pretende ser um passo importante para reverter esta situação e para reposicionar Portugal no mercado global de produções de Cinema.

O decreto-lei apresenta mais-valias para as produtoras em termos de um crédito fiscal que se traduz na dedução, em sede de IRC, do valor correspondente a 20% do montante das despesas elegíveis com a produção de obras cinematográficas em território nacional. Esta percentagem pode ser ainda majorada em 25%, caso as despesas sejam realizadas em territórios do interior e prevejam remunerações para atores e técnicos portadores de deficiência e até 25% no caso de obras com versão original em língua portuguesa e de obras com especial relevância cultural ou cuja produção tenha um impacto muito significativo na cinematografia nacional.

As categorias elegíveis são obras cinematográficas de iniciativa estrangeira realizadas com produtores nacionais ou com produtor executivo nacional, obras em coprodução internacional e também obras de produção nacional, com despesas elegíveis superiores a 1M€ por obra. Os beneficiários são empresas cinematográficas registradas no Instituto de Cinema e Audiovisual e com a sua situação fiscal regularizada.

São consideradas despesas elegíveis, gastos de produção relativos a bens e serviços fornecidos em Portugal, por empresas e trabalhadores independentes, nomeadamente salários, honorários, pessoal artístico e técnico, e quaisquer outras remunerações tributáveis em Portugal.

Os limites máximos do incentivo são 4M€ por obra e o teto máximo de crédito fiscal a atribuir anualmente é de 7M€ em 2017, 10M€ em 2018 e de 12M€ a partir de 2019.

O decreto-lei e respetivo regulamento entram em vigor no dia seguinte à sua publicação.

 Assinatura do Protocolo de Colaboração para Valorização, Restauro e Conservação da Torre Albarrã do Castelo de Paderne Castelo de Paderne

O Castelo de Paderne está classificado com o grau de Imóvel de Interesse Público, pelo Decreto N.º 516/71 de 22-11, e, beneficia de uma Zona Especial de Protecção, nos termos da Portaria n.º 978/99, Diário da República (2.ªsérie). A sua classificação como um bem de valor cultural nacional atendeu a que corresponde ao paradigma de um hisn - uma pequena fortificação rural hispano--muçulmana do período almóada (2ª metade do século XII e primeiras décadas do século XIII)-  em cujas muralhas foi utilizado um único e já perdido processo construtivo, a taipa militar e que  a estrutura chegou, até nós, mantendo a técnica construtiva e o desenho que lhe deram os seus fundadores, no século XII.

Os vestígios arqueológicos, no interior do castelo, correspondem ao urbanismo islâmico da fundação, às posteriores ocupações medieval e moderna, e, à ruína de uma capela que teria a actual configuração, em inícios do séc. XVIII.

No âmbito regional, pelas suas características estruturais e pela qualidade ambiental e paisagística da sua envolvente, o castelo de Paderne impõe-se como um notável valor cultural, que ganha um reforçado sentido devido à sua plena compatibilidade com o uso turístico, associado ao facto de se situar no concelho de Albufeira, município que acolhe uma elevada percentagem do movimento turístico da região algarvia.

Subentende-se a conveniência de valorizar este bem cultural, de significado histórico-cultural impar na região. Para isso é necessário a continuação de obras de conservação e restauro dos módulos de taipa almóada, agora na Torre Albarrã utilizando, como em anterior intervenção piloto, os materiais e os processos construtivos compatíveis com a tipologia construtiva deste edifício histórico. O custo total da intervenção está previsto com um valor de oitenta e sete mil quatrocentos e oitenta e oito euros e cinquenta e dois cêntimos, a que acrescerá o IVA à taxa legal.

A Direção Regional de Cultura, que dispõe, com autoria do Arq. Manuel López Vicente, de um projecto de conservação e restauro, para a Torre Albarrã, desde 2010, não conseguiu até à data por questões de orçamentais, satisfazer aquele objetivo, apesar de  o ter mantido entre as suas prioridades.

De acordo com os dois protocolos assinados, dia 28 de julho, nos Paços do Concelho de Albufeira, a Direção Regional de Cultura do Algarve compromete-se a candidatar a obra ao CRESCE 2020,  a Câmara Municipal de Albufeira, em financiar a compartida nacional em 30 000 Euros  e a Fundação Milénio BCP em conceder  um mecenato no valor de 30  000 Euros.

Regista-se com satisfação esta parceria inovadora entre as três entidades, em favor da valorização do património algarvio,  de que devemos garantir a continuidade às gerações futuras.

Entrevista da Drª Alexandra Gonçalves, Diretora Regional da Cultura do Algarve, ao Sul Informação e à Rádio Universidade do Algarve (RUA)

< previous12